Publicidade

O Campeonato Carioca começa a ganhar corpo com os grandes clubes encontrando algumas dificuldades contra os pequenos. Justamente por conta disso que o MQJ Memória de hoje relembra as maiores zebras do Campeonato Carioca.

A lista tem alguns artilheiros inusitados, como Pião e Anapolina, além de uma volta olímpica de marcha ré. Até mesmo a palavra zebra teve origem em um choque do Campeonato Carioca.

Leia também:

Publicidade

MQJ Memória: America e Bangu, símbolos de uma época que o Rio tinha 6 grandes
MQJ Memória: Dener, o mais parecido com Pelé
Filho de peixe, relembre pais e filhos do futebol
MQJ Memória: Jorge Mendonça, o substituto de Dinamite

Abaixo as maiores zebras do Campeonato Carioca:

1964 – Portuguesa 2 ax 1 Vasco

Vasco x Portuguesa é a origem da zebra (Foto: Arquivo JB)

O jogo abre esta relação porque foi justamente nele que nasceu a expressão: “Deu Zebra”. O Vasco tinha um timaço, mas antes daquela partida o técnico Gentil Cardoso, do Cruz-Maltino, ao analisar o confronto que se aproximava com a Portuguesa disse: “Esse jogo pode dar zebra”. A expressão nunca tinha sido usada e por isso gerou grande surpresa. O treinador queria dizer que poderia dar um resultado diferente em uma alusão ao jogo do bicho, onde a zebra não aparece. Com gols de Inaldo e Tião a Lusa venceu nas Laranjeiras. Mário descontou. Até hoje a Portuguesa tem uma sebra desenhada em seu ônibus.

Publicidade

Leia também:

MQJ Memória: O adeus a Clébson! O substituto de Jorginho
MQJ Memória: Daniel González, o uruguaio que fez história no Vasco e no Corinthians

1968 – Flamengo 0 x 2 Bonsucesso

Flamengo caiu para o Bonsucesso (Foto: Arquivo JS)

Esse jogo é uma zebra histórica do futebol carioca. O Flamengo segurou empate sem gols com o Botafogo na penúltima rodada da Taça Guanabara, disputada em pontos corridos. Assim os dois times estavam empatados em número de pontos, mas o Glorioso tinha um jogo a mais. Dessa maneira bastava o Flamengo empatara com o Bonsucesso no meio de semana, na Gávea, para dar a volta olímpica. A empolgação era tanta que após o empate com o Alvinegro so flamenguistas deram a volta olímpica, mas esqueceram que ainda tinham que duelar com o Rubro-Anil. A partida enfim chegou e o Bonsucesso ganhou por 2 a 0, com gols de Morais e Gonçalves. A estrela do dia foi o goleiro Borrachinha.

Publicidade

Leia também:

MQJ Memória: Ézio, porque super-herói é pra isso
MQJ Memória: Assis, o carrasco do Flamengo

O Botafogo, que estava disputando uma série de amistosos em Goiás, retornou às pressas para decidir o título com Flamengo no domingo seguinte, em jogo-extra. O Fogão goleou por 4 a 1 e os botafoguenses deram a volta olímpica de marcha ré, em provocação aos flamenguistas.

1980 – Serrano 1 x 0 Flamengo

Anapolina acabou com o Flamengo (Foto: Arquivo JS)

Publicidade

A partida não valia uma decisão. Mas era impensável que o timaço do Flamengo que tinha Zico poderia perder para o Serrano naquela quarta-feira de 1980 no Estádio Atílio Mariotti. Mas foi o que aconteceu. Anapolina fez o único gol do jogo. Além disso o destaque do time da Serra foi o goleiro Acácio, que fechou o gol. Assim Acácio se credenciou para defender e brilhar pelo Vasco ao longo de toda a década de 80. Aquele dia poderia ser considerado das bruxas para o Flamengo. Zico se machucou e fiou de fora do restante da competição, que teve o Fluminense como campeão.

1989 – Porto Alegre 3 x 1 Flamengo

Porto Alegre fez Flamengo dançar (Foto: TV)

No Estádio Jair Bittencourt o Porto Alegre recebeu o Flamengo de Zico pela Taça Rio. Com gols de Gilmar e um de Alexandre o time ganhou por 3 a 1. Alcindo descontou para os flamenguistas. O resultado complicou o Flamewngo, que perderia a final para o Botafogo.

Leia também:

Publicidade

MQJ Memória: Mazolinha, o craque que virou pedreiro
MQJ Memória: Berg, o Anjo Louro do Botafogo

1990 – América-TR 1 x 0 Botafogo

América de Três Rios fez história (Foto: Arquivo América-TR)

O Botafogo tinha sido campeão invicto em 1989 e estava sem perder no Campeonato Carioca. Em uma tarde de quarta-feira foi a Três Rios medir forças com o América local. O jogo terminou 1 a 0, com um gol do atacante Pião aos 44 minutos do segundo tempo. O Glorioso conquistaria o bicampeonato e naquelas duas temporadas essa foi a única derrota do Alvinegro.

2002 – Americano 2 x 1 Vasco

Americano bateu o Vasco em 2002 (Foto: Reprodução Youtube)

O Vasco tinha um timaço e era liderado em campo por Romário. Vinha de anos de conquistas como dois Brasileiros e uma Copa Libertadores. Mas naquela tarde de domingo quem brilhou no Estádio Godofredo Cruz, em Campos, foi o artilheiro Luciano Vianna. Ele fez os dois gols que garantiram o título da Taça Guanabara ao time campista. Romário fez o gol vascaíno.

Publicidade

Leia também:

MQJ Memória: Artilheiro no Flamengo e goleiro no Palmeiras
MQJ Memória: Botafogo perdeu Clei, o lateral que morreu por engano

2005 – Americano 2 x 1 Botafogo

Torcida do Americano fez a festa (Foto: Ferj)

O Botafogo era favorito na disputa da semifinal com o Americano. A torcida lotou o estádio, apostando na vaga na decisão. Mas o Americano conseguiu se impor com gols de Marco Antônio e Washington. Alex Alves, de pênalti, fez o tento botafoguense.

2007 – Madureira 4 x 1 Flamengo

Bruno foi vítima de Marcelo (Foto: TV)

Publicidade

Era a última rodada da Taça Guanabara. O Flamengo enfrentou o Madureira, que precisava ganhar em Moça Bonito para se classificar para as semifinais. O Tricolor Suburbano viu o atacante Marcelo brilhar em uma tarde de sábado de Carnaval. O jogador marcou quatro gols na goleada de 4 a 1. Renato Abreu descontou para os flamenguistas. Para se ter uma ideia do que isso representou, até hoje apenas Marcelo e o astro húngaro Púskas marcaram quatro gols no Rubro-Negro.

Leia também:

MQJ Memória: Geraldo, o craque do Flamengo marcado por uma fatalidade
MQJ Memória: Margarida, o árbitro mais alegre da história do futebol

2009 – Flamengo 1 x 3 Resende

Flamengo parou no Resende (Foto: Reprodução TV)

Publicidade

Era sábado de Carnaval, mas a semifinal da Taça Guanabara reuniu Flamengo e Resende no Maracanã. O Rubro-Negro parecia nervoso em campo e teve o zagueiro Fábio Luciano e o volante Aírton e xpulsos. Assim o Resende mandou no jogo e ganhou com autoridade por 3 a 1. Bruno Meneguel foi o astro do dia com dois gols. Hiroshi anotou um golaço no ânglo do goleiro Bruno. Josiel descontou.

Leia também:

MQJ Memória: Zé Carlos, o Grandão do gol do Flamengo
MQJ Memória: Campeão mundial pelo Flamengo, Figueiredo morreu no auge da carreira 

2011 – Boavista 2 x 2 Fluminense

Fluminense foi eliminado pelo Boavista (Foto: Reprodução TV)

O Fluminense foi a campo para as semifinais da Taça Guanabara com um time muito forte. O Tricolor tinha Fred, Conca e outras estrelas. O Boavista era o oponente no Estádio Nilton Santos. Mas em campo o time da Região dos Lagois conseguiu arrancar empate por 2 a 2. Marquinho e Fred anotaram para o Tricolor, mas André Luis e Tony garantiram o empate. Na decisão por pênaltis brilhou o goleiro Thiago Schmidt, que garantiu a eliminação do Fluminense.

Leia também:

MQJ Memória: Polêmica no Carioca faz o futebol relembrar Eduardo Viana, o Caixa D´água
MQJ Memória: Vivinho, o gol de placa de São Januário
Nomes de animais, MQJ Memória relembra craques bichos
MQJ Memória: Carlinhos Violino, o interino acostumado a dar voltas olímpicas
MQJ Memória: Cláudio Coutinho montou o inesquecível Flamengo