Publicidade

O presidente da LaLiga – a CBF espanhola -, Javier Tebas, acusou aqueles que querem reacender a polêmica Superliga de “mentir mais do que (Vladimir) Putin”. A competição é considerada por muitos como elitista e separatista. Isso porque envolveria apenas 12 equipes, as mais fortes da Europa. Seis delas da Premier League.

Presidente da Liga, Javier Tebas, denunciou manobra de Barcelona, Real Madrid e Juventus, mas diz que ‘não vai ficar barato’ | Foto: PIERRE-PHILIPPE MARCOU/AFP via Getty Images)

A Superliga foi criada e rapidamente descartada no ano passado, em razão da forte reação mundial à iniciativa. Mas, sobretudo de torcedores, fazendo com que os clubes voltassem atrás. Entretanto, agora há relatos sugerindo que Barcelona, ​​Real Madrid e Juventus esperam relançar a ideia em breve.

Leia também

Barcelona se esforça por Haaland: Xavi se encontra com craque

Publicidade

No radar! PSG pensa em Dembélé para a vaga de Di María

Liverpool pode atacar o futebol português mais uma vez

O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, destacou o chefe da Juventus, Andrea Agnelli, como um dos cabeças dessa nova investida da Superliga. Ceferin acusou os clubes de usar a invasão da Rússia na Ucrânia como uma distração, enquanto Tebas foi um passo além e afirmou que os envolvidos mentem mais do que o líder da Rússia.

Publicidade

“Há uma semana houve uma reunião dos três clubes. Estão aproveitando as atenções do mundo voltadas para o conflito da Rússia com a Ucrânia para atacar a Champions League. Defendem um formato no qual sempre haverá as equipes típicas – Juventus, Barcelona e Real Madrid. Será difícil para eles cair. Mas os ingleses não vão engolir essa. Eles fizeram inimigos na UEFA e na Premier League, cujo crescimento vai contra o seu modelo”, argumentou Tebas.

Relacionadas

Dusan Vlahovic Juventus
Haaland
Koeman Barcelona
Messi e Ronaldinho Gaúcho: futebol no Estado da Arte - Reprodução Twitter

“Nós sabemos disso, temos essa informação. Eles podem dizer o que quiserem, mas é nisso que estão trabalhando. Eles estão insistindo que a introdução disso não afetará as ligas nacionais. Devemos ser idiotas, devemos ser burros. Mas todos dizemos que isso prejudica as ligas nacionais”, finalizou o espanhol.

Comentários