Publicidade

Zinedine Zidane tem estrada não apenas como jogador, mas também como técnico. Não à toa, aparece sempre cotado para dirigir grandes clubes, sempre que uma oportunidade aparece. A bola da vez agora é o Manchester United, que demitiu neste domingo (21) o técnico Solskjaer e está em busca de um novo nome para ocupar o comando. No entanto, de acordo com a mídia esportiva europeia, há uma questão importante que separa Zidane do clube inglês.

Zidane e Véronique Zidane: futuro do técnico francês leva em conta palavra dela - Foto: Divulgação Zidane e Véronique Zidane: futuro do técnico francês leva em conta palavra dela – Foto: Divulgação

A resistência estaria dentro de casa, mais precisamente na esposa do técnico francês.

Leia também

Atlético de Madrid e Griezmann vivem situação curiosa na Champions League

Publicidade

Haaland, Oblak… Veja dez craques que estão fora da Copa do Mundo de 2022

Copa do Mundo de 2022 ganha forma: confira quem já está classificado

Zidane afirma que se sente “atraído pela possibilidade de liderar um time com dois dos seus jogadores de maior sucesso no Real Madrid: Varane e Cristiano Ronaldo”. Mas ele mesmo acrescenta que o principal obstáculo é sua esposa Véronique. Ela simplesmente não gosta da ideia de morar em Manchester. Assim, prefere que o marido dê um descanso mais longo antes de voltar ao trabalho.

Zidane Zidane passa a bola para outro no Manchester United, mas não para sempre | OSCAR DEL POZO/AFP via Getty Images

Publicidade

Essa informação valida o que disse o respeitado jornalista Christian Falk, especialista em mercado da bola na Europa. Ele garantiu que Zidane quer fazer uma pausa até o próximo verão europeu, ou seja, no meio do ano que vem, para regressar a algum clube. De acordo com Falk, o Manchester United já conhece a posição do treinador francês.

Relacionadas

Mbappé PSG
Zidane Real Madrid
Messi Barcelona 2021

Zinedine Zidane, que deixou o Real Madrid na temporada passada, ainda não está pronto para treinar o Manchester United e deu a conhecer isso aos dirigentes dos “red devils”.

Comentários