Publicidade

A fé caminha ao lado do futebol. Muitos clubes brasileiros têm padroeiros e, claro, as promessas fazem parte do dia a dia de muitos torcedores. No Dia de Todos os Santos, nada melhor do que relembrar algumas divindades da bola.

Tem goleiro que brilhou tanto que virou santo, além de anjos e divindades da bola. Isso sem falar nos clubes nomes de santo e nos padroeiros dos times.

Galeria de Fotos

Revelado pelo Bangu, está no hino do clube, Domingos da Guia foi um zagueiro que marcou época na década de 30 e 40. O apelido de “Divino Mestre” resume a importância dele na história do futebol brasileiro. Virou divindade.

Relacionadas

Solskjaer Manchester United
Klopp

Publicidade

Depois do Bangu, Domigos da Guia defendeu Vasco, Nacional, do Paraguai, Boca Juniors, Flamengo e Corinthians. É lenda do futebol brasileiro e um dos principais zagueiros da história nacional.

Domingos e Ademir da Guia: talento em campo (Foto: do Brasil acervo)

A divindade passou de pai para filho. O meia Ademir da Guia herdou parte do apelido do pai e virou Divino. Para a torcida do Palmeiras, um apelido que faz jus ao ídolo.

Fluminense tem ídolo que é santo

São Castilho é um dos maiores ídolos da história do Fluminense. Ele não virou “santo” do Tricolor à toa. O goleiro é o recordista de jogos pelo Flu (698 partidas) e foi titular por quase 20 anos, de 1946 a 1965.

Castilho Fluminense Castilho está na história do Fluminense | Foto: Flu-Memória Arquivo

Publicidade

Castilho fez vários milagres com a camisa do Fluminense. Além disso, fez sacríficos. Ele amputou um dedo da mão para não desfalcar o time por muito. São Castilho ganhou busto.

MAIS! Marcão reconhece Fluminense pouco efetivo mesmo com um a mais

Um dos maiores nomes da história do futebol brasileiro jogava tanto que virou anjo. Um dos apelidos de Garrincha foi Anjo das Pernas Tortas. Especialmente com a camisa do Botafogo e da Seleção, ele desfilou toda genialidade e talento.

Garrincha Garrincha marcou época pela genialidade | Foto: Botafogo / Divulgação

Publicidade

Garrincha é uma divindade do futebol brasileiro. A expressão da arte que encantou o mundo e fez o Brasil ser expoente da bola.

MAIS! Botafogo se aproveita de oscilação dos rivais e fica mais perto do acesso

Um dos principais cobradores de falta do futebol brasileiro também virou anjo. Marcelinho Carioca cansou de fazer gols de falta. Não demorou a receber o apelido de Pé de Anjo.

Publicidade

Revelado pelo Flamengo, Marcelinho brilhou também com a camisa do Corinthians – é um dos principais ídolos do clube – e também se destacou com a camisa do Vasco.

Anjo Loiro da Gávea

Na década de 90, Sávio, cria do Flamengo, logo conquistou a torcida rubro-negra. Ele virou ídolo e o Anjo Loiro da Gávea. Teve passagem vitoriosa pelo Real Madrid.

Cadê a plaquinha? Gabigol vive maior seca no Flamengo e Renato Gaúcho passa confiança ao artilheiro

Publicidade

Marcos fez muitos milagres com a camisa do Palmeiras. Não à toa, virou São Marcos. É um dos principais ídolos da história do Verdão. Está eternizado, com aura de divindade. Ele ganhou um busto como homenagem.

O goleiro do Palmeiras também brilhou pela Seleção Brasileira. Marcos foi o titular na conquista da Copa do Mundo de 2002.

Comentários