Futebol Brasileiro, Futebol Internacional

Luxemburgo x Figo: de 2005 até a cornetada no post de Rivaldo

Figo e Luxemburgo: o português responsabiliza o treinador por sua saída do Real.
Figo e Luxemburgo: o português responsabiliza o treinador por sua saída do Real.

A cornetada de Figo a Vanderlei Luxemburgo deu o que falar. Depois que usou o Twitter para parabenizar o treinador pela conquista do Campeonato Paulista, o ex-jogador português interferiu: “Para mim foi o pior”, escreveu Figo no comentário ao post de Rivaldo. Essa história, no entanto, é antiga. Remonta os idos de 2005, quando Luxemburgo era técnico do Real Madrid dos Galácticos. O MAIS QUE UM JOGO relembra esse embate.

Luxemburgo x Figo: rivalidade antiga - Reprodução Twitter

Luxemburgo x Figo: rivalidade antiga – Reprodução Twitter

Vanderlei Luxemburgo chegou ao Real Madrid no início de 2005, logo depois de conquistar seu quinto título brasileiro, pelo Santos, no ano anterior. Estava em alta no mercado, embora sem qualquer experiência internacional.

Santos campeão brasileiro 2004 - Arquivo Santos

Santos campeão brasileiro 2004 – Arquivo Santos

A chegada

Quando chegou, a temporada europeia estava já pela metade. Luxemburgo encontrou um Real Madrid, assumindo a vaga até então ocupada por Mariano García Remón, demitido pela direção da equipe merengue. Tornou-se o terceiro técnico do Real na temporada, algo raro no futebol europeu.

Mariano García Remón

Mariano García Remón, técnico de um Real Madrid problemático e que saiu para chegada de Luxemburgo – Arquivo Real Madrid

Luxemburgo teve um bom início de trabalho, mas logo os problemas começaram a surgir e a se refletir em campo. Justamente o português Figo virou seu grande desafeto, que acabou dispensado.

Figo e Luxemburgo: o português responsabiliza o treinador por sua saída do Real.

Figo e Luxemburgo: o português responsabiliza o treinador por sua saída do Real.

“Minha relação com ele foi normal no início, mas depois se deteriorou. Tive que sair do Real Madrid porque não jogava em razão das decisões do treinador em não jogar”, comentou Figo em entrevista à Fox Sports, no último mês de maio.

O motivo de a passagem de Luxemburgo pelo Real Madrid ter sido tão curta, conforme depoimentos dos próprios “galácticos”, teria sido o relacionamento ruim com o elenco. Ele não completou sequer um ano no comando de um time de estrelas, no entanto, sem obter resultados expressivos.

Zidane e Luxemburgo na época dos Galácticos - Reprodução

Zidane e Luxemburgo na época dos Galácticos – Reprodução

“Ele trouxe as conquistas do futebol brasileiro e tudo que fazia no Brasil para a Espanha, mas não conseguiu combinar esse trabalho e aprender um pouco da cultura europeia. Proibiu algumas coisas que o europeu não estava acostumado”, disse Roberto Carlos, lateral esquerdo galáctico, em entrevista da época, em 2015.

Roberto Carlos, no Real Madrid

Roberto Carlos: “As estrelas não cumpriam as ordens de Luxemburgo”- Divulgação

Luxemburgo x Figo

A saída de Figo funcionou como um alerta para determinados jogadores. O próprio Roberto Carlos relatou que um pequeno grupo não entendeu o que o treinador queria, mas havia estrelismo também. Formou-se, assim, um grupo que acabou fazendo com que Luxemburgo perdesse a mão do elenco.

Figo foi o primeiro caso de desavença de Luxemburgo com o elenco do Real Madrid | Foto: Real Madrid / Divulgação

Um outro fator que gerou insatisfação no elenco foi a chegada em bloco de reforços brasileiros. Logo após o fim da temporada europeia de 2004-05, Luxemburgo tratou de montar uma formação com a cara que preferia. Assim, chegaram Robinho e Julio Baptista. No entanto, os resultados não vieram com esses reforços e a química do técnico com o elenco, definitivamente, acabou.

Robinho chegou ao Real Madrid por indicação de Luxemburgo - Divulgação

Robinho chegou ao Real Madrid por indicação de Luxemburgo – Divulgação

Efeito Zidane

Há quem veja na discussão com Zidane o início do fim de Luxemburgo no Real Madrid. No episódio, o time espanhol enfrentava a Juventus e empatava sem gols. O placar garantia o Real Madrid nas quartas de final da competição. No entanto, aos 30 minutos do segundo tempo, Luxemburgo resolve tirar Zidane e colocar Guti. Ele queria reforçar a marcação e garantir o placar.

Luxemburgo e Zidane no Real Madrid - Getty

Luxemburgo e Zidane no Real Madrid. Mudanças de hábito – Getty

Um minuto depois da saída de Zidane a Juventus fez o gol da vitória. O jogo foi para a prorrogação, mas o Real já não tinha forças para reagir: Luxemburgo havia tirado de campo David Beckham e Raúl. A Juventus marcou o segundo gol e carimbou a vaga. O carimbo no passaporte de Luxemburgo seria questão de tempo, pouco tempo.

Há quem diga que a atuação de gala de Ronaldinho Gaúcho. No auge, o brasileiro do Barcelona liderou a vitória por 3 a 0 sobre o rival, em pleno no Santiago Bernabéu. Após marcar seu segundo gol na partida, o camisa 10 recebeu aplausos até mesmo de torcedores rivais, em uma cena eternizada.

Ronaldinho em dia de gala no Barcelona - Getty

Ronaldinho em dia de gala no Barcelona – Getty

Leia também

Messi x Lewandowski: duelo da vez na Liga dos Campeões

Everton Cebolinha derruba cotação de Cavani nas apostas

O melhor de Lewandowski contra o pior de Messi. Entenda!

Você Também pode gostar

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *