Publicidade

Roger - Botafogo Roger foi diagnosticado com um tumor no rim direito – Vitor Silva/SSPress/Botafogo

A descoberta de um tumor no rim direito do atacante Roger, na semana passada, causou comoção no futebol nacional. Fora da reta final do Campeonato Brasileiro, o artilheiro do Botafogo na temporada, com 17 gols, ainda não sabe a exata dimensão do problema, o que só acontecerá após a realização da biópsia, provavelmente no próximo domingo. Independentemente do resultado do exame, o que não falta ao jogador são exemplos de atletas que superaram o câncer e retornaram ao esporte de alto rendimento.

O Mais Que um Jogo preparou uma lista com 10 astros do futebol e de outras modalidades que podem servir de inspiração para que Roger dê a volta por cima e retorne aos gramados o mais rapidamente possível.

Publicidade

Narciso

Narciso Divulgação/ABC

O caso do então zagueiro do Santos é o mais conhecido dos brasileiros. Em maio de 2000, quando tinha 26 anos, Narciso foi diagnosticado com leucemia mieloide e teve que interromper a carreira. Submetido a um transplante de medula óssea de sua irmã, Nilza, ele retornou aos gramados após dois anos e meio de tratamento. Narciso jogou profissionalmente até 2005 e hoje é técnico de futebol.

Nenê Hilário

Nenê Hilário Divulgação/CBB

Publicidade

Jogador de basquete brasileiro há mais tempo atuando na NBA, Nenê levou um susto em janeiro de 2008, quando descobriu um câncer no testículo. Descoberto em estágio inicial, assim como o de Roger, o tumor de 1,5 centímetro foi retirado e o atleta voltou a defender o Denver Nuggets, seu time na época, apenas dois meses e meio após a cirurgia.

Wagner Domingos

Wagner Domingos Flavio Florido/Exemplus/COB

Finalista no lançamento de martelo nos Jogos Olímpicos Rio 2016, o Montanha, como é chamado, descobriu um câncer na bexiga em maio de 2011, quando se preparava para os Jogos Pan-americanos em Guadalajara, no México. A recuperação do atleta pernambucano após a cirurgia foi rápida e em setembro ele já estava competindo novamente.

Publicidade

Abidal

Abidal Reprodução/Facebook

Então titular do Barcelona, o lateral-esquerdo Abidal descobriu um tumor no fígado em março de 2011. O jogador passou por uma cirurgia no dia 17 daquele mês e menos de dois meses depois retornou a campo para enfrentar o Real Madrid pela Liga dos Campeões da UEFA. Em fevereiro de 2012, no entanto, o câncer voltou e o francês teve que passar por um transplante de fígado. A partida seguinte aconteceu em abril de 2013, na goleada de 5 a 0 sobre o Mallorca.

Robben

Robben Reprodução/Facebook

Publicidade

O astro da seleção holandesa teve um câncer no testículo em 2003, quando tinha apenas 20 anos e se transferia do PSV para o Chelsea. Ainda em recuperação após a retirada do tumor, o atacante foi um dos destaques da Eurocopa 2004 e disputou a final da Copa do Mundo de 2010.

Giba

Giba Reprodução/Facebook

Um dos maiores jogadores da história do vôlei brasileiro, Giba foi diagnosticado com leucemia aos seis meses de idade. Para surpresa dos médicos, aos dez meses ele já caminhava. Após superar a doença, o atleta nascido em Londrina (PR) foi eleito o melhor jogador de um Mundial e de uma edição dos Jogos Olímpicos e colecionou 26 títulos em 17 anos de seleção brasileira.

Publicidade

Natália

Natália Inovafoto/CBV

Campeã olímpica com a seleção brasileira de vôlei, em 2012, a ponteira Natália teve que vencer um câncer ósseo um ano antes de sua maior conquista. Em 2011 exames detectaram um tumor na tíbia da atleta e, dez meses após operação de retirada, dores a levaram novamente à sala de cirurgia. Natália se recuperou a tempo de ser convocada para os Jogos Londres 2012 e conquistar o ouro.

Douglas Friedrich

Douglas Friedrich Reprodução/Facebookj

Publicidade

Um dos destaques do Avaí no Brasileirão 2017, o goleiro também já sofreu com um câncer no testículo. A doença foi descoberta quando ele tinha 18 anos e atuava pelo Galo Maringá, do Paraná, nos anos de 2007 e 2008. Foram dez meses longe do futebol, cinco deles fazendo quimioterapia, após a cirurgia.

Lance Armstrong

Lance Armstrong Reprodução/Facebook

Antes de se envolver no maior escândalo de doping da história, o ciclista americano teve tumores no cérebro, no pulmão e nos testílculos, em 1996. Os médicos diziam que sua probabilidade de sobreviver era pequena, mas após cirurgias e tratamento de quimioterapia, Armstrong venceu a doença em 1997 e voltou a competir no ano seguinte.

Publicidade

Magrão

Magrão Divulgação

Com passagens por Palmeiras, Internacional e Corinthians, o jogador precisou tirar um dos testículos quando estava nos Emirados Árabes, em 2011. Devido aos remédios que precisava tomar após a cirurgia, acabou sendo flagrado no exame antidoping em 2015.