Publicidade

O Fluminense vem em uma maratona de jogos e precisou usar a força do elenco contra o Bragantino, neste domingo, em Bragança Paulista, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico Roger Machado preservou alguns titulares e viu o grupo do Fluminense responder. Apesar dos vacilos e do primeiro tempo ruim, o Fluzão buscou o empate nos acréscimos.

Luccas Claro, Martinelli, Nenê, Gabriel Teixeira e Fred foram poupados, sendo que Nenê entrou na reta final do jogo e conseguiu o pênalti que resultou no empate tricolor. Roger justifica a opção de mandar a campo um time modificado.

Roger Machado Fluminense Roger justifica opção por rodar o elenco | Foto: Mailson Santana / Fluminense / Divulgação

– Era um jogo que a gente precisava oxigenar alguns atletas, um jogo de risco do ponto de vista físico. Acabou que tivemos problema com o Samuel Xavier e tive de substituir o Nino também porque é um desgaste muito grande. E a gente conseguiu se manter na partida porque os jogadores que entraram, entraram bem – analisou Roger Machado.

Relacionadas

Abel Hernández Fluminense 130621
Ronaldo Bahia

Publicidade

David Braz, Wellington, Ganso, Luiz Henrique e Abel Hernández foram as escolhas do técnico. Roger Machado confia no grupo, estimula a competitividade e dá um recado ao elenco.

– Costumo dizer aos atletas que estão reivindicando oportunidade que cinco minutos é muito tempo, porque a bola sai do seu pé depois de um chute e vai para o fundo da rede em três segundos. Então cinco minutos é uma eternidade, que aproveitem quando estão em campo. No fim do dia, se não aproveitou não tem reserva desse tempo, ele é desperdiçado. Aproveita os minutos em campo e não se entrega nunca. É isso que a gente quer – acrescentou o técnico.

Roger destaca luta do Fluminense

E não se entregar é uma característica do Fluminense. O técnico, que defendeu o Tricolor na época de jogador, também se identifica com espírito aguerrido que marca o Flu.

Publicidade

– A marca do time já é o time de guerreiro. Isso é um pouco da minha personalidade também, que eu assumia dentro do campo. Fora eu sempre fui reservado, por vezes até tímido, mas no jogo minha personalidade era aguerrida. Gosto de ver o atleta se entregar até o fim, mas isso já era construído desde o ano passado. A gente só incrementa com algumas pitadas, informações, posicionamento… Se ganha e se perde no primeiro minuto e o último minuto. Nós empatamos nos acréscimos – afirmou.

Com o empate, o Fluminense continua invicto no Brasileiro, agora com cinco pontos. Na próxima rodada, o Tricolor recebe o Santos, nesta quinta-feira, às 19h (horário de Brasília), no Maracanã.

Comentários