Vasco

Quais posições o Vasco precisa para ter um time competitivo no Brasileiro

Ramon Menezes (Reprodução Youtube)

O Vasco mudou com Ramon Menezes. Nas duas partidas que disputou sob o comando do treinador, mostrou uma nova postura em campo. A evolução do time em relação ao início do ano encheu a torcida de esperança. Mas será que o Cruzmaltino tem elenco para ser competitivo no Brasileiro e outras competições?

Vasco na partida contra o Goiás (Instagram)

Sem recursos para investir em contratação de peso, o Vasco depende de apoio externo e criatividade para contratar um jogador para ser titular.

Ciente da realidade, Ramon Menezes já declarou que gostaria de receber mais um lateral-esquerdo, um zagueiro e um atacante. O objetivo porém, seriam atletas para compor o elenco

A diretoria também sonha com um meia de criação, um camisa 10 que hoje está em falta no elenco. Nicolás Oróz, de 25 anos, está encostado no Racing, da Argentina e é desejo do Cruzmaltino desde o início do ano.

Leia também:

Dirigente do Vasco: ‘Precisamos vender mais um ativo além do Marrony’

Em mais uma live enigmática, Guarín diz que vai mas volta

Por outro lado, o Cruzmaltino pode perder até três volantes. Anunciado nesta sexta-feira pelo Atlético Goianiense, Willian Maranhão já deixou o clube.

Freddy Guarín enfrenta problemas particulares e deseja suspender seu contrato para retornar à Colômbia. E outro que pode sair é Raúl. Com contrato a vencer no final do ano, ele está insatisfeito com dívidas e promessas não cumpridas da diretoria, e tenta acordo para antecipar liberação.

Titulares com o técnico Vanderlei Luxemburgo em 2019, as saídas de Guarín e Raúl seriam uma grande baixa para o plantel.

Vamos analisar a situação por setor da equipe:

Defesa

No gol, Fernando Miguel é titular absoluto e Jordi a primeira opção. O grupo ainda tem dois jovens, Lucão e Alexander.

A lateral direita também está bem servida. Yago Pikachu é o titular e Cláudio Winck surge como primeira opção se Pikachu for escalado no meio. Cria da base, o promissor Cayo Tenório aparece como terceira opção.

Na zaga, Ramon escalou Leandro Castán e Ricardo Graça contra Macaé e Madureira. Esta parece ser sua dupla preferida. O problema são os suplentes.

Werley se recupera de uma mialgia na panturrilha esquerda e vem trabalhando em separado do grupo. Em fase de transição, pode ficar à disposição em breve.

Após quase dois anos e uma série de cirurgias e complicações nos joelhos, Breno pode finalmente estar voltando. Ele vem treinado com o grupo e até já participou de coletivos. Entretanto, o longo tempo afastado e o histórico de lesões colocam em dúvida sua sequência na equipe.

O elenco conta ainda com dois jovens promissores que vieram da base, Miranda e Ulisses.

Já a lateral esquerda é um dos setores mais carentes do Vasco. O veterano Ramon se recupera de uma lesão no joelho e pode ficar à disposição no Brasileiro. Mas com 32 anos e sem atuar desde novembro de 2018, tem situação semelhante a de Breno.

Henrique tem sido a primeira opção de Ramon. Além dele, só dois jogadores promovidos da base, Alexandre e Rodrigo Coutinho, ambos com 21 anos.

Meio de campo

O elenco Cruzmaltino tinha até o início da semana doze jogadores de meio campo. Com a saída de Maranhão sobraram 11 e, se ficar sem Guarín e Raúl, serão nove. A maioria é de primeiro e segundo volantes, sete ao todo, e dois meias mais ofensivos. Entre os que atuam mais na marcação, Andrey, Fellipe Bastos e Marcos Júnior têm tido mais oportunidades com Ramon.

Mas sem um titular absoluto como Guarín e um reserva à altura como Raúl, o setor ficaria carente. Entre os demais, Bruno Gomes é visto como bastante promissor, mas tém apenas 19 anos.

Bruno César e Martín Benínetez são os dois mais ofensivos do meio e se revezaram em campo nas duas partidas com Ramon.

Ataque

No trio ofensivo, Talles Magno e Germán Cano têm vaga garantida entre os titulares. Já Vinícius largou na frente na disputa pela vaga deixada por Marrony, que foi para o Atlético-MG.

Tiago Reis, Lucas Santos, Gabriel Pec e Ribamar são as opções do treinador para o setor.

A falta de experiência também preocupa. Cano tem 32 anos, mas os demais são muito jovens. Ribamar é o segundo mais velho com 23, e Talles, Vinícius e Pec têm menos de 20 anos.

O Vasco irá disputar três competições no segundo semestre, O Brasileirão, a Copa do Brasil e a Sul-Americana. Se conseguir avançar nos mata-mata, a maratona de jogos será intensa. O pedido por três reforços pode ser contato e
obrigar Ramon a expor um dos jovens cedo demais.

Você Também pode gostar