Publicidade

Manter os cem por cento de aproveitamento e a liderança das Eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2022, que será disputada no Catar. Superar uma série de desfalques. Mostrar que o bom começo não foi obra do acaso. Lidar com o favoritismo total no jogo. Esses são os principais desafios da Seleção Brasileira no duelo desta sexta-feira, às 21h30(de Brasília), no Morumbi, em São Paulo (SP), pela terceira rodada.

Tite tem que quebrar a cabeça para armar a Seleção Brasileira (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O Brasil iniciou a sua trajetória goleando a Bolívia por 5 a 0 e depois fez 4 a 2 no Peru. Assim carrega amplo favoritismo diante de uma Venezuela, que tem no banco de reservas o treinador português José Peseiro, mas que não conseguiu pontuar ainda.

Leia também

Messi no PSG é fake news, diz pai do jogador
Diogo Jota não é ameaça para Firmino, de acordo com ídolo do Liverpool

Publicidade

Tite, técnico da Seleção Brasileira, teve muitas desfalques para este duelo. Os zagueiros Rodrigo Caio e Éder Militão, os volantes Fabinho e Casemiro, o meia Philippe Coutinho e o atacante Neymar foram cortados por motivo de lesão. Além disso Gabriel Menino, que vinha treinando com o grupo, testou positivo para Covid-19. Assim foi preciso muita criatividade para montar o time.

Brasil tem muitos desfalques

Everton Ribeiro ficará com a criação de jogadas (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Apesar desta situação, Tite se mostrou tranquilo. Além disso confia nos substitutos.

– É um problema que todas as seleções estão enfrentando. Não é algo exclusivo do Brasil. Não queremos que lesões aconteçam, mas temos que apostar que os substitutos vão aproveitar as oportunidades – disse Tite.

Publicidade

Para este duelo Tite optou pela entrada de Gabriel Jesus no ataque por conta da ausência de Neymar. Caberá a ele e a Roberto Firmino jogarem pelos lados do ataque, tentando suprir o impacto da ausência do jogador do PSG. Richarlison jogará mais centralizado no ataque. No meio, Everton Ribeiro assume o lugar de Coutinho. Por opção do treinador, o goleiro Éderson barrou Weverton.

Venezuela aposta em atacante veterano

Richarlison será a referência no ataque. Mas vai substituir Neymar à altura? (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Pelo lado da Venezuela há um clima de otimismo.

– Fizemos algumas escolhas erradas nos primeiros jogos, mas opercebemos a situação e o nosso sentimento é o de que vamos fazer um grande jogo em São Paulo. Vontade nunca faltou e não faltará – disse Peseiro.

Publicidade

O treinador não revelou a escalação que pretende mandar a campo para tentar surpreender a Seleção Brasileira. Mas uma das principais apostas continua a ser o veterano artilheiro Salomón Rondón. Assim dá para ver que o desafio é grande para os venezuelanos. Entretanto é possível sonhar.

FICHA TÉCNICA
BRASIL X VENEZUELA

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 13 de novembro de 2020 (Sexta-feira)
Horário: 21h30(de Brasília)
Árbitro: Juan Benítez (Paraguai)
Assistentes: Eduardo Cardozo (Paraguai) e Milciades Saldivar (Paraguai)
VAR: José Méndez (Paraguai)

Publicidade

BRASIL: Éderson, Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Allan, Douglas Luiz e Everton Ribeiro; Gabriel Jesus, Roberto Firmino e Richarlison
Técnico: Tite
VENEZUELA: Wuilker Fariñez, Rolf Feltscher, Wilker Ángel, Jhon Chancellor (Jordan Osorio) e Roberto Rosales; Tomás Rincón, Cristian Cásseres e Rómulo Otero; Yeferson Soteldo, Darwin Machís e Salomón Rondón
Técnico: José Peseiro