Publicidade

A Inglaterra é o país com maior número de clubes na Superliga, mas pensar que o país apoia a iniciativa é um erro. São sete, no total: Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham. Entretanto, mesmo dentro dos que formam a Superliga, tem – ou teve – gente contra a criação do grupo elitista.

Vale lembrar que Pep Guardiola, técnico do Manchester City, criticou a Superliga quando ela ainda não era uma realidade, em janeiro deste ano.

Guardiola se manifestou contra a Superliga em janeiro último (Foto: Getty)

Mais: Pai de Lionel Messi está na Espanha, mas ainda não conversa sobre permanência no Barcelona

Publicidade

“Não podemos perder o sentido das ligas locais, mas sim fortalecê-las, torná-las mais fortes. Melhorar o Premier, o Campeonato, a League One … ”, disse, à época, Guardiola.

Além do próprio Guardiola, talvez a manifestação mais contundente tenha sido a do primeiro-ministro Boris Johnson, do Reino Unido. Mas também boa parte dos amantes do futebol demonstraram rejeição à proposta. Os ingleses são quase unânimes a reivindicar uma Premier League mais forte, em vez de uma Superliga europeia.

Mais: Champions em risco com a Superliga Europeia?

Comentários