Publicidade

No dia em que completou 123 anos, o Vasco deu um presente de grego aos torcedores, perdeu para o Operário e viu o drama na Série B aumentar. Neste sábado, o Gigante da Colina caiu para o rival paranaense, em Ponta Grossa: 2 a 0, no Estádio Germano Krüger, pela 20ª rodada. Foi a terceira derrota seguida do clube carioca na competição.

O Vasco vive crise dentro e fora de campo. A execução de R$ 93,5 milhões em dívidas trabalhistas pode inviabilizar o clube, segundo a diretoria. E a situação na Série B não é nada animadora. O Gigante da Colina não consegue se aproximar do G-4.

Paulo Sérgio Operário x Vasco Paulo Sérgio balançou a rede do Vasco | Foto: Operário-PR / Divulgação

Sem nada a comemorar, o Vasco amarga um ambiente pesado, cercado de pessimismo. Contra o Operário, o clube carioca até começou bem. Tudo desmoronou a partir do primeiro gol do rival. O fantasma de continuar na Série B assombra o Gigante da Colina.

Relacionadas

Alexandre Pássaro Vasco

Publicidade

O Vasco continua com 28 pontos e está na 11ª colocação – pode cair na tabela com a sequência da rodada. A diferença para o G-4 é de cinco pontos. O Operário, por sua vez, pulou para 32 e colou na briga por um lugar no pelotão de elite. O clube paranaense está no quinto lugar.

Na próxima rodada, o Vasco recebe a Ponte Preta, domingo, dia 29, em São Januário, às 16h (de Brasília). Já o Operário entra em campo nesta terça-feira: visita o Guarani, no Brinco de Ouro.

Operário dá o bote no Vasco

O Vasco quase abriu o placar logo no primeiro minuto. Sarrafiore deixou Cano cara a cara com Simão. Entretanto, o artilheiro bateu para fora, em uma chance que não costuma desperdiçar. Já Marquinhos Gabriel, em finalização da entrada da área, viu o goleiro rival espalmar. Na sequência, ele quase surpreendeu e tentou gol olímpico. Simão salvou.

Publicidade

O Operário apostava nas bolas cruzadas. Após cobrança de escanteio, Fabiano ficou com rebote e chutou. Vanderlei salvou o clube carioca. Em novo escanteio, Marquinhos Gabriel vacilou e perdeu a sobra. Djalma Silva recuperou e cruzou. A bola encontrou Marcelo. Ele emendou e fez 1 a 0, aos 26 minutos.

Operário x Vasco Vasco perde para o Operário e vê o drama aumentar | Foto: Operário / Divulgação

Cano quase empatou. Léo Matos cruzou da direita e o atacante conseguiu se antecipar à marcação, mas cabeceou para fora, rente à trave. A resposta do Operário foi fatal. Marcelo arriscou de fora da área. A bola desviou e explodiu no travessão. No rebote, Paulo Sérgio, atacante revelado pelo Flamengo, fez 2 a 0, aos 34 minutos.

O Vasco foi para o intervalo em situação delicada. Lisca fez logo duas mudanças para o segundo tempo. O técnico colocou Caio Lopes e Morato. Saíram Bruno Gomes e Sarrafiore.

Publicidade

O clube carioca voltou a parar em Simão e não deu sorte na sequência. Em cobrança de falta ensaiada, Marquinhos Gabriel rolou para Zeca. O lateral-esquerdo soltou a bomba. O goleiro do Operário conseguiu desviar. A bola explodiu na trave e a zaga rival cortou.

O Vasco tentou pressionar o Operário. Lisca ainda lançou Gabriel Pec e Andrey. Saíram Léo Jabá e Andrey. Pec obrigou Simão a aparecer mais uma vez.  Morato, nos acréscimos, insultou o árbitro e foi expulso. O clube carioca não teve forças para reagir e amargou a terceira derrota seguida na Série B.

FICHA TÉCNICA

Publicidade

OPERÁRIO-PR 2X0 VASCO

Local: Estádio Germano Krüger, Ponta Grossa (PR)
Data: 21/08/2021, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC)
VAR: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Cartão amarelo: Fábio Alemão e Thomaz (Operário) e Bruno Gomes, Romulo e Ricardo Graça (Vasco)
Cartão vermelho: Morato (Vasco)
Gol:
Operário-PR: Marcelo, aos 26′ do 1ºT, e Paulo Sérgio, aos 34′ do 1ºT
Vasco:

OPERÁRIO-PR: Simão; Rodolfo Filemon, Fábio Alemão (Marcelo Santos) e Reniê; Alex Silva, Leandro Vilela, Marcelo (Rodrigo Pimpão) e Fabiano; Thomaz (Felipe Garcia), Djalma Silva e Paulo Sérgio (Odivan). Técnico: Matheus Costa.

Publicidade

VASCO: Vanderlei; Léo Matos, Miranda, Ricardo Graça e Zeca; Romulo (Andrey), Bruno Gomes (Caio Lopes) e Sarrafiore (Morato); Marquinhos Gabriel (Matías Galarza), Léo Jabá (Gabriel Pec) e Cano. Técnico: Lisca.

Comentários