Publicidade

O técnico Ricardo Sá Pinto mal chegou ao Rio e já se sente à vontade, de acordo com o que disse em sua primeira entrevista como treinador do Vasco. Ao falar para a VascoTV, ele expressou sua identificação com o clube e afirmou estar orgulhoso  por assumir o time. Sá Pinto chegou ao Rio de Janeiro na noite desta quinta-feira (15), e esteve em São Januário nesta sexta.

“É uma honra, um orgulho muito grande. Eu me identifico muito com o Vasco, sempre me identifiquei. Eu adoro o Brasil, somos praticamente irmãos, falamos a mesma língua. Tenho muitos amigos brasileiros em Portugal, e tenho muitos amigos a viver cá, portanto sinto-me em casa”, disse Sá Pinto.

Sá Pinto: "Orgulho de trabalhar no Vasco Sá Pinto: “Orgulho de trabalhar no Vasco – Foto: Reprodução Twitter

O VP de futebol José Luiz Moreira já cogitava a contratação de Sá Pinto em março, quando Abel Braga deixou São Januário. Entretanto, a diretoria acabou por decidir apostar em Ramon, ídolo do clube quando jogador e que atuava como auxiliar técnico.

Publicidade

O novo treinador conhece a situação do Vasco, dentro e fora do campo, e aceitou um contrato curto. Seu vínculo vai somente até fevereiro, quando terminará o Campeonato Brasileiro.

Leia também

Sá Pinto defende discurso pé no chão ao assumir o Vasco

Sá Pinto adota postura diferente de Jorge Jesus ao assinar com o Vasco

Publicidade

“Eu vou dar o que tenho e o que não tenho para arranjar soluções para que a equipa consiga mesmo chegar a um nível na classificação que merece. Apesar de sabermos que nos últimos oito anos só uma vez que estivemos abaixo do décimo lugar”, prometeu o português.

Confira algumas palavras de Sá Pinto:

Publicidade

“Peço paciência também à torcida, tenham paciência, pois um trabalho fundamentado não aparece em meia duas ou três semanas. Algumas coisas vão aparecendo, mas é preciso tempo. Quando existe uma ideia de jogo bem definida, quer no nosso processo ofensivo quer no defensivo, as coisas precisam de algum tempo. Apesar de sabermos que tempo nós não temos. Nós chegamos na primeira metade do Brasileirão, mas enfim, todos os jogos serão finais a partir de agora”, projetou.

O novo treinador vascaíno precisará resolver as questões legais e burocráticas antes de poder estar nos jogos à beira do gramado. A expectativa é de que isso não acontecerá nas próximas duas partidas do Campeonato Brasileiro, contra Inter e Corinthians. Para esses jogos o time será comandado pelo auxiliar Alexandre Grasseli.