Publicidade

A postura de Ricardo Sá Pinto ao assinar contrato com o Vasco é diferente daquela que Jorge Jesus teve ao firmar compromisso com o Flamengo. O atual treinador do Benfica exigiu um mínimo de um ano de compromisso com o clube rubro-negro. Havia uma cláusula que permitia a renovação por mais tempo após este período, entretanto, com a condição de uma liberação para clubes do exterior. Foi o que aconteceu. Pouco depois de prorrogar o compromisso com o Rubro-Negro, Jesus acabou aceitando convite do Benfica. Já Sá Pinto optou por um contrato menor com o Vasco, com duração somente até o fim do Campeonato Brasileiro.

Sá Pinto chega ao Brasil nesta quinta-feira - Foto: Gabriele Maltinti/Getty Images) Sá Pinto vai dirigir o Vasco (Foto: Gabriele Maltinti/Getty Images)

Sá Pinto entende que é para ele e para o Vasco uma novidade. O casamento, segundo o treinador, pode não durar caso não fiquem satisfeitos com seu trabalho.

– Assinei por pouco tempo para as pessoas observarem o meu trabalho, ver se é isso que realmente querem. Com um clausula que permite alongar o nosso vínculo se assim entenderem. Sei que todos os treinadores vivem de resultado. Mas quando trabalhamos uma ideia de jogo é normal que fiquem satisfeitos – disse o treinador à “TV BOLA”.

Sá Pinto recusou a Grécia antes de fechar com o Vasco

Jorge Jesus na renovação de contrato com o Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Publicidade

O português estava sem trabalhar há alguns meses, mas quase aceitou proposta do futebol grego.

– Não vou esconder que estou há alguns meses sem treinar, mas tive a oportunidade aqui mesmo em Portugal. Também um clube de ponta da Grécia me procurou, mas entendi que não era o momento – disse ele.

Leia também:

Publicidade

Diretoria do Vasco emite nota oficial sobre salários atrasados
Vasco confirma Alexandre Grasseli como auxiliar de Sá Pinto

Ricardo Sá Pinto tem uma carreira marcada por polêmicas. Como jogador chegou a agredir o técnico da seleção portuguesa após saber que não seria convocado. Como treinador foi expulso de um avião e brigou com colegas de profissão na Bélgica. Já como diretor de futebol deu socos no atacante Liedson quando estava no Sporting.