Publicidade

Carmen Jordá já foi piloto de desenvolvimento na Fórmula 1 (Foto: Divulgação)

É a opinião de quem já foi piloto de desenvolvimento de equipes como Lotus e Renault e integra, nomeada pela FIA (Federação Internacional da Automobilismo), a Comissão de Mulheres do Esporte a Motor. Para a espanhola Carmen Jordá, o limite físico impede que as pessoas do sexo feminino consigam se destacar na Fórmula 1.

“Posso dizer que na Fórmula 1 e na Fórmula 2 – ao contrário de outros campeonatos, como kart, Fórmula 3 e GT, nos quais acredito que as mulheres sejam capazes de obter bons resultados – há uma barreira, que é por uma questão física. É por isso que não há nenhuma nestes campeonatos”, afirmou Carmen em entrevista publicada no site “ESPN F1”.

Fórmula E

Publicidade

A espanhola disputou três temporadas na GP3, categoria de base que leva à F 1, porém jamais marcou pontos. Carmen, no último fim de semana, testou um carro da Fórmula E, e o considerou mais adequado às mulheres, já que a exigência física é menor.

A última mulher a participar de uma corrida de Fórmula 1 foi a italiana Lella Lombardi, em 1976.

Leia também:

Publicidade

Quatro vezes de Ángel Romero polêmico em clássicos paulistas
Qual a maior vítima de Messi? Veja quem já sofreu com o craque argentino
Lateral-artilheiro, Pikachu vira arma e iguala melhor marca de gols pelo Vasco
Cristiano Ronaldo pronto para decidir e com melhor média da carreira
Manchester City pode quebrar sete recordes da Premier League
Corinthians e Premiere revoltam rivais com bandeirão
Mais um craque na Copa do Mundo? Ibrahimovic deixa a possibilidade no ar