Publicidade

Emily Lima Técnica Emily Lima foi demitida da seleção brasileira após dez meses – Fernanda Coimbra/CBF

A demissão da técnica Emily Lima e o retorno de Vadão ao comando da seleção feminina de futebol está custando caro a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Desde a controversa decisão, no dia 22 de setembro, cinco jogadoras já deixaram a equipe, a primeira foi a atacante Cristiane, que defendeu a camisa do Brasil por 17 anos e já foi considerada a terceira melhor jogadora do mundo.

Emily Lima assumiu o cargo de técnica da seleção feminina de futebol em novembro de 2016 para iniciar o novo ciclo para a disputa do Mundial e dos Jogos Olímpicos. Dez meses após a contratação, porém, a treinadora não chegou a disputar uma competição oficial, somando sete vitórias, um empate e cinco derrotas nas 13 partidas em que esteve à frente da equipe.

Publicidade

Saiba mais sobre as jogadoras que deixaram a seleção brasileira feminina de futebol:

Cristiane

Cristiane Cristiane, ao lado de Marta, foi a principal jogadora da seleção nos últimos anos – Divulgação

Maior artilheira da história dos Jogos Olímpicos entre homens e mulheres, com 14 gols, a atacante e 32 anos fez sua estreia com a camisa verde e amarela em agosto de 2001. De lá para cá, Cristiane conquistou duas medalhas olímpicas de prata (Atenas 2004 e Pequim 2008), sagrou-se tricampeã dos Jogos Pan-americanos (Santo Domingo 2003, Rio 2007 e Toronto 2015) e ficou com o vice-campeonato da Copa do Mundo de 2007. Atualmente, ela defende o Changchun Yatai, da China.

Publicidade

Francielle

Francielle Francielle conquistou títulos pela seleção de base e principal – Divulgação

A volante, de 27 anos, defende o Avaldsnes, da Noruega, e seu primeiro título com a seleção brasileira foi o Sul-americano Sub-20, em 2006. Sua principal conquista com a seleção principal foi a medalha de prata nos Jogos Olímpicos Pequim 2008, além do vice-campeonato nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011.

Andreia Rosa

Andreia Rosa Andreia Rosa defende o Avaldsnes, da Noruega, assim como Francielle – Reprodução/Instagram

Publicidade

Parceira de Francielle no Avaldsnes, da Noruega, é mais uma medalhista de prata nos Jogos Olímpicos Pequim 2008 a deixar a seleção brasileira de futebol. A zagueira, que defendeu a equipe nacional por sete anos, esteve presente em quatro das oito convocações feitas por Emily Lima.

Rosana

Rosana Rosana também deixou a seleção feminina de futebol – Jefferson Bernardes/Vipcomm

Com 18 anos de serviços prestados à seleção brasileira de futebol, a veterana lateral, de 35 anos, coleciona medalhas pela equipe. Foi prata nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004 e Pequim 2008 e na Copa do Mundo de 2007, na China, e ouro nos Jogos Pan-americanos Rio 2007 e no Sul-americano de 2010. Hoje, Rosana defende o Grêmio Osasco Audax.

Publicidade

Maurine

Maurine Maurine defendeu a seleção por 16 anos – Rafael Ribeiro/CBF

A lateral e meia foi a quinta jogadora a deixar a seleção após a demissão de Emily Lima. Foram 16 anos defendendo o Brasil, com a prata olímpica em Pequim 2008 e os pódios nos Jogos Pan-americanos Guadalajara 2011 (prata) e Toronto 2015 (ouro). Maurine defende hoje o Santos, time pelo qual já conquistou a Copa Libertadores da América em 2009 e 2010.