Publicidade

Neymar está sob os holofotes desde o início da carreira, no Santos. O craque convive com fama, glórias, elogios, críticas e pressão. Um contexto que, muitas vezes, pode ser pesado. O astro do PSG e da Seleção Brasileira revelou que já pensou em parar de jogar futebol.

Neymar Neymar também falou sobre como lida com pressão | Foto: PSG / Divulgação

“Eu nunca vou perder paixão pelo futebol, mas tive momentos em que quis parar de jogar. Uma vez, cheguei ao ponto de perguntar para mim se deveria continuar jogando, já que as pessoas não gostam. Eu ia para casa com a cabeça quente e então lembrava de tudo que fiz para chegar até aqui. O amor que eu tenho pelo futebol e todas essas coisas sempre me acalmam e me trazem de volta para a realidade”, declarou Neymar, à revista inglesa “Gaffer”.

LEIA MAIS! Críticos e desafetos: episódios polêmicos e marcantes da carreira de Neymar

Neymar e a pressão que sofre

Publicidade

Ele não se aprofundou ou foi específico sobre os momentos em que pensou em parar de jogar futebol. Neymar também foi indagado sobre a pressão que sofre, especialmente por ser o principal jogador brasileiro na atualidade e um dos mais famosos do mundo.

LEIA MAIS! Neymar e Álvaro González protagonizam a discussão mais infantil do futebol

“Nunca senti pressão. Pelo contrário, sou uma pessoa que lida facilmente com a pressão. Ser o camisa 10 da Seleção Brasileira, do PSG e só por ser Neymar. Acho que lido com tudo muito bem e ao mesmo tempo sei do meu compromisso e sou muito grato por representar times como o PSG e o Brasil. Eu sei que tenho que ser diferente quando jogo, tenho que dar 100% porque é o que todo mundo espera”, acrescentou.

Publicidade

Midiático, o craque da Seleção Brasileiro e do PSG sempre é assunto. Ele foi perguntado sobre o “quão difícil é ser Neymar”.

“Acho que hoje o mundo está muito sensível. É engraçado, acho que hoje em dia nada pode ser feito e ao mesmo tempo tudo pode ser feito e todos fazem de tudo. Por exemplo, todos lhe julgam pelo que você faz e até pelo que você para de fazer”, afirmou.