Publicidade

A cena se repete nas partidas mais marcantes do Real Madrid nesta temporada. Modric assiste da arquibancada o primeiro tempo dos jogos, aguardando um eventual chamado do técnico Zinedine Zidane. Aconteceu no Camp Nou, no Borussia Park e no Di Stéfano, contra a Inter. Três jogos difíceis, na base da vitória ou crise, para o Real Madrid. Mas Zidane se deu ao luxo de manter no banco o vencedor da Bola de Ouro em 2018, Modric. Curiosamente, a entrada em campo coincidiu com as melhores performances do time.

Modric contra o Barcelona: o Real Madrid é outro com ele em campo Modric contra o Barcelona: o Real Madrid é outro com ele em campo – Foto: LLUIS GENE/AFP via Getty Images

Contra a Internazionale aconteceu de novo. Modric entrou em campo a0s 33 minutos do segundo tempo e, dois minutos depois, Rodrygo marcou o gol salvou o dia. Apesar de o croata estar mostrando seu conhecido potencial, Zidane aplica estritamente sua política de rotação com Modric.

“Nossos jogadores não descansam. É um bloco de sete jogos, depois vão com a seleção. Não reclamo, só explico que é preciso rodar e acho que podemos ganhar assim”, argumentou Zidane em roda de imprensa, antes da derrota contra o Cádiz. Essa partida aconteceu logo depois uma pausa para jogos da Fifa, na qual Modric jogou 135 minutos em três partidas com a camisa da Croácia.

Leia também

Publicidade

Precisando de técnico? Que tal um finalista da Champions League?

Traiu a esposa com mulher do próprio irmão e agora agride a namorada: Giggs em apuros

Zidane promoveu um rodízio, tentando poupar seus jogadores. Casemiro contra o Cádiz, Kroos contra o Shakhtar e Modric, o que mais jogou, embora após o intervalo, no clássico contra o Barcelona. Teve ainda Valverde, que só ficou fora contra Cádiz, depois da viagem transoceânica.

Embora os números favoreçam o croata, Modric é reserva no Real Madrid de Zidane Embora os números favoreçam o croata, Modric é reserva no Real Madrid de Zidane – Foto: GERARD JULIEN/AFP via Getty Images)

Publicidade

Modric teve que assistir ao primeiro grande jogo da temporada do banco. Mas, depois que entrou, 21 minutos foram suficientes para deixar sua marca. Um gol que sentenciou o resultado. Contra o Borussia voltou ao banco, mas quando entrou foi frenético. Fez 28 bons passes em apenas 24 minutos (contando os acréscimos), com 93% de acerto. Entretanto, nem suas atuações, nem o baixo rendimento de Kroos abalaram o status estabelecido por Zidane no meio-campo.

Modric, que aos 35 anos é o mais velho do Real Madrid, participou nos 10 jogos que o time disputou na temporada. Em seis foi titular e nas outras quatro partidas saiu do banco. Em todos os quesitos considerando rendimento, o croata leva a melhor sobre o alemão. Ainda assim, Modric é o suplente de Kroos no Real Madrid de Zidane.