Publicidade

A Seleção Brasileira venceu com sobras o Uruguai, em Manaus, em jogo que tinha tudo para ter alguma tensão. De cara um adversário tradicional, que costuma dar trabalho ao Brasil. Na verdade, costumava. Os uruguaios não viram a cor da bola, tomando um vareio de 4 a 1, com os brasileiros voltando a vencer nas Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo do Qatar. Primeiro lugar isolado e garantido, com 31 pontos.

Jogo contra o Uruguai pode ter sido o início de uma nova dupla na Seleção Brasileira de Tite - Foto: CBF Jogo contra o Uruguai pode ter sido o início de uma nova dupla na Seleção Brasileira de Tite – Foto: CBF

Leia também

Argentina passa pelo Peru sem trabalho e vê a Copa logo ali

Em casa, Chile tira o atraso contra a limitada Venezuela

Publicidade

Chamou atenção o bom entrosamento entre Neymar e Raphinha, mas sobretudo o novato, o mais perigoso do Brasil em campo. Entretanto, foi Neymar quem abriu o placar, aos 9 minutos. No lance, Fred lançou por cima para Neymar, já dentro da área. pela direita. Ele dominou no peito, tirou de Muslera e finalizou com precisão, embora sem ângulo.

O gol de Raphinha saiu aos 17 minutos, depois de uma bela jogada de Paquetá, que entrou na área e tocou para Neymar chutar. Mas o lance deu rebote, quando Muslera tentou afastar. Entretanto, lá estava Raphinha, com velocidade, para empurrar a bola ao fundo da rede: 2 a 0.

Segundo tempo

Inspirado, Raphinha deu as caras novamente aos 12 minutos. No lance, Neymar recebeu na esquerda e saiu em disparada. Raphinha entrou no clima recebendo a bola e pisando fundo, entrando veloz pelo meio. Ele cruzou a área e chutou na diagonal, de canhota. Um belo gol, coroando sua noite!

Neymar vibra diante de Luis Suárez em noite brasileira - Foto: Buda Mendes/Getty Images Neymar vibra diante de Luis Suárez em noite brasileira – Foto: Buda Mendes/Getty Images

Relacionadas

Chilenos festejam um dos gols em cima da fraca Venezuela - Foto: Claudio Reyes - Pool/Getty Images
Yerry Mina, à direita, faz cara feia, mas não pior do que o futebol apresentado pela sua Colômbia ou pelo Equador - Foto: Guillermo Legaria/Getty Images

Publicidade

O Uruguai, no entanto, teve alguns poucos reflexos daquele futebol que costumávamos ver. Num deles, Luis Suárez aproveitou cobrança de falta, mandando no canto esquerdo de Ederson. A bola passou pelo lado da barreira e parou na rede brasileira, aos 31 minutos. Era o gol de honra, porque tinha Gabigol em campo.

Aos 37 minutos, Neymar cruzou na cabeça de Gabigol, na marca do pênalti. Muslera não segurou, mas a arbitragem marcou impedimento. O VAR entrou em campo e, após alguns minutos, confirmou o gol brasileiro. Quarto gols do Brasil, suficientes para espantar qualquer crise.

Comentários