Publicidade

Com a carreira pela metade, como definiu, Adriano Imperador pensa em retornar aos gramados. Aos 35 anos, ele anunciou que vai voltar aos treinos e se dedicar numa espécie de última tentativa para ver se pode jogar novamente.

“Estou me ajeitando para fazer um projeto e começar a treinar de novo, sem clube nenhum, durante todo o mês de janeiro. Desde que parei, consegui manter meu corpo. Estou disposto a isso, sei que tenho de ter muita persistência”, declarou Adriano, em entrevista a Pedro Bial, no programa “Conversa com Bial”, da “TV Globo”.

Inicialmente, Adriano não quer vínculo com clube. A ideia é a de se preparar fisicamente e ver se tem condição de voltar a jogar. Se sentir que sim, aí acertaria com algum time, seja do Rio, de São Paulo ou fora do Brasil, como ele declarou.

Publicidade

“Quero fazer por mim, quero mostrar que posso chegar até o meu limite. Daí, sim, dizer se dá ou não para continuar jogando”, acrescentou o Imperador. Sincero, ele admitiu dificuldades ao longo da carreira, como depressão após morte do pai e problemas com bebida.

“Não consegui completar a minha carreira por inteiro. Aconteceram algumas coisas que me afastaram do futebol. Posso dizer que ficou na metade (a carreira)”, completou o Imperador.

LEIA TAMBÉM:
Nike e NBA se voltam para o mercado brasileiro
O São Paulo x Sport mais estranho que você já viu
Na ressaca dos 8 a 0, argentinos lembram do Botafogo
O que realmente importa na polêmica do gol de mão de Jô
Paolo Guerrero e o desafio de fazer história no Flamengo

Relembre casos de entregadas no futebol

Publicidade

Adriano sabe que o desafio é grande. Ele não atua desde 2016, quando defendeu o Miami United, nos Estados Unidos. De 2012, quando deixou o Corinthians, para cá, poucos jogos e muito tempo longe dos gramados.

A trajetória de Adriano Imperador

Os primeiros passos de Adriano no futebol foram no Flamengo. Ele começou no clube aos 7 anos. Em 2000, chegou ao profissional como um talento da base. Foi negociado com a Inter de Milão no ano seguinte. Ganhou experiência no Parma e na Fiorentina, até explodir de vez na Inter. Lá, ganhou o apelido de Imperador.

O atacante, à época, era considerado um dos melhores do mundo. Chegou à Seleção Brasileira, sendo decisivo na conquista da Copa América, em 2004, e também brilhando no título da Copa das Confederações de 2005. Porém, os problemas começaram no auge da carreira. A morte do pai, Almir Leite Ribeiro, abalou o Imperador.

Publicidade

Adriano precisou superar a depressão. Teve momentos marcantes em campo, mas começou a titubear. O Imperador, em 2008, desembarcou no São Paulo e conseguiu se destacar. Voltou para a Itália no mesmo ano. Porém, os problemas pessoais perturbavam o atacante. Em 2009, anunciou a saída da Inter e que ficaria afastado do futebol por um tempo.

Campeão pelo Flamengo

O Imperador voltou para casa. Não apenas o Brasil, mas também para o Flamengo. Adriano foi campeão brasileiro em 2009, sendo artilheiro da competição, com 19 gols, ao lado de Diego Tardelli, do Galo. No ano seguinte, ele acertou com a Roma. O atacante sofreu com lesões (operou o ombro direito) e depois rescindiu contrato.

Em 2011, chegou ao Corinthians e viveu o maior problema físico: rompeu o tendão de Aquiles do tornozelo esquerdo. Depois, confessou que errou no processo de recuperação (faltou a sessões de fisioterapia, por exemplo). Ele teve um momento de brilho pelo Timão, com um gol importante sobre o Atlético-MG na campanha do título brasileiro.

Adriano fez apenas oito jogos pelo Corinthians | Foto: Divulgação

Publicidade

A trajetória de Adriano pelo Corinthians terminou no início de 2012, por dificuldade em entrar em forma e com poucas chances. Ele disputou apenas oito jogos pelo clube paulista – fez dois gols. O Imperador voltou ao Flamengo. Ele precisou fazer uma nova cirurgia no tendão de Aquiles e nem sequer entrou em campo. O Fla rescindiu contrato após indisciplinas do atacante (faltou a seis treinos).

Adriano voltou para o Flamengo em 2012, mas nem sequer entrou em campo | Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Afastamento dos gramados

Adriano, então, viveu o primeiro hiato afastado dos campos. Ele acertou com o Atlético-PR em 2014, depois de 22 meses sem atuar. O Imperador disputou a Libertadores e até fez gol, mas, ao todo, fez apenas quatro jogos pelo Furacão. Após eliminação na Libertadores, faltou a dois treinos. Em comum acordo, rescindiu com o clube.

Quatro jogos e um gol: a passagem de Adriano pelo Atlético-PR | Foto: Divulgação

Novamente, Adriano ficou afastado do futebol. Em 2016, um ano e dez meses depois da passagem pelo Atlético-PR, ele acertou com Miami United, da Quarta Divisão dos Estados Unidos. Ele ficou apenas três meses, disputou dois jogos e fez um gol. Por divergências no clube, voltou para o Brasil. Desde então, está longe dos gramados. Agora, ensaia o retorno.

Adriano ficou apenas três meses no Miami United | Foto: Divulgação