Publicidade

A eliminação do Flamengo na Copa do Brasil e na Libertadores vai afetar diretamente o planejamento do departamento de futebol. Pressionada pela consequente redução das receitas, a diretoria precisa, portanto, reavaliar o elenco para 2021. Atletas como Diego Alves e Pedro Rocha ficaram então mais perto de deixar o clube e podem liderar a barca do Fla.

Diego Alves (Foto: Alexandre Vidal/CRF)

O goleiro, no clube desde 2017, tem contrato apenas até o fim de dezembro. Contudo, as conversas sobre a renovação empacaram depois que o departamento financeiro não aprovou os termos acordados. Diego Alves pede em torno de 700 mil Reais de salários em 2 anos de contrato, mas o valor é considerado alto para um atleta de 35 anos. A diretoria fez uma nova proposta e aguarda a posição final do goleiro.

O caso de Pedro Rocha é diferente. O atacante chegou ao Flamengo no início do ano por empréstimo junto ao Spartak de Moscou, até dezembro. Entretanto, desde o início sofreu com problemas físicos e atuou muito pouco. Os russos concordam com a extensão do empréstimo até agosto, mas isso custaria 1,5 milhão de euros. Além disso, o Flamengo teria de continuar a pagar o alto salário do jogador, o quinto maior do elenco.

Publicidade

Leia também:

Flamengo pode se complicar nas finanças com episódios recentes

Flamengo, Corinthians, River… a ‘maldição do ano seguinte’ dos campeões da Libertadores

Publicidade

A diretoria ainda não se manifestou sobre Pedro Rocha, mas internamente a situação é dada como definida.

A barca do Fla não vai parar por aí. Jogadores que não emplacaram e com os quais a torcida perdeu a paciência, estão ameaçados. Os atacantes Lincoln, Vitinho e Michael, além dos zagueiros Gustavo Henrique e Léo Pereira, encabeçam a lista.