Publicidade

A diretoria do Flamengo vem tentando manter o orçamento do clube alto mesmo em ano de pandemia. Além disso o orçamento para 2021 é bem otimista. Se fala em R$ 953 milhões. Um valor bem superior aos R$ 677 milhões de 2020. Mas os episódios recentes podem fazer o clube mergulhar em problemas de finanças, algo que parecia distante no imaginário dos rubro-negros.

Rodolfo Landim preside o Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

As eliminações na Copa do Brasil e na Copa Libertadores são verdadeiros rombos nos cofres flamenguistas. Para se ter uma ideia a queda na Copa Libertadores gera um impacto negativo de R$ 18 milhões. Soma-se a isso R$ 7 milhões a menos com a queda na Copa do Brasil.

Leia também:

Zebra! Nos pênaltis, Flamengo cai na Libertadores
Diego: ‘Estamos indignados pela eliminação’

Publicidade

O fato de o time ser eliminado de duas competições importantes compromete a visibilidade, principalmente a internacional com a disputa da Copa Libertadores. Existia a expectativa de um retorno ao Mundial de Clubes, o que seria um aporte importante para os cofres do clube em 2021. Sem isso o orçamento começa a se comprometer.

Pedro está nos planos

A vitória na Justiça, que desobriga o clube a pagar indenizações a familiares de jovens que morreram no incêndio do Ninho do Urubu, também agrava a situação, por mais irônico que possa parecer. Apesar do descanso financeiro, a decisão foi muito mal recebida pela opinião pública. O desgaste negativo com o episódio tem pesado em algumas negociações envolvendo a marca Flamengo. Algo que a diretoria não admite publicamente.

Em termos de contratação de reforços, os impactos da possível crise se refletem no orçamento de 2021. O clube planeja gastar apenas R$ 30 milhões com a aquisição de nomes. Mas só com as duas parcelas da compra dos direitos federativos do atacante Pedro junto à Fiorentina custarão R$ 28 milhões.

Flamengo espera R$ 168 milhões em vendas

Queda na Libertadores custa caro ao Flamengo (Foto: Conmebol)

Publicidade

Se não quer contratar tanto, o clube trabalha com a negociação de jogadores. A expectativa é faturar R$ 168 milhões com isso. Como essa é a previsão, uma verba extra para reforços viria somente se este valor fosse superado. Assim pode acontecer um enfraquecimento do elenco.

Além disso internamente circula a informação da insatisfação dos jogadores com premiações em atraso de títulos do primeiro semestre. O fato gera irritação nos dirigentes, que não se sentem confortáveis em falar no assunto. Mas a verdade é que os próximos meses podem ser complicados para as finanças do Flamengo.