Publicidade

Aquela tranquilidade do futebol europeu, com poucos jogos no mês e nada de maratona não faz mais parte da rotina do técnico Ricardo Sá Pinto. O jogador começa a enfrentar os problemas causados pelo excesso de jogos do futebol brasileiro. O Vasco mal atuou no empate por 1 a 1 com o Goiás e já pensa na Copa Sul-Americana.

Ricardo Sá Pinto e a maratona de jogos (Divulgação Vasco)

A delegação vascaína viajará direto para a Venezuela, onde enfrentará na quarta-feira o Caracas. A partida decide uma vaga na terceira fase da Copa Sul-Americana. Ricardo Sá Pinto apontou a recuperação dos jogadores como sua principal preocupação para o confronto decisivo.

Leia também:

Publicidade

Vasco larga na frente, mas cede empate ao lanterna Goiás
Ricardo Graça lamenta infelicidade do Vasco no empate com o Goiás

– Eu acho que nesta altura o nosso maior adversário e única coisa que preocupa é recuperar bem a equipa para essa final que vamos ter na quarta-feira. Esta equipa tem sofrido um desgaste muito grande em termos psicológicos. a gente vinha de sete derrotas e dois empates, e realmente não é fácil conviver com a derrota pra quem chega a um clube como o Vasco – afirmou o treinador em entrevista coletiva.

Sá Pinto vai analisar situação dos atletas

Ricardo Sá Pinto vai usar aspecto físico para definir time.

Publicidade

– Vamos perceber quais são os melhores jogadores para jogar na quarta-feira, fundamentalmente recuperar a equipa porque animicamente vejo-os fortes, preparados para que possamos passar realmente à fase seguinte – completou.

Por ter vencido o jogo de ida por 1 a 0, em São Januário, o Vasco terá a vantagem do empate. Mas Sá Pinto espera um confronto difícil.

– Vai ser um jogo muito complicado. Tem bons jogadores, em casa são diferentes, no clima deles também. Enfim vamos ter que nos preparar muito bem, porque vai ser um jogo de grande exigência em termos físicos e mentais – afirmou o português.

Vasco tem problemas para duelo com o Caracas

Publicidade

Para esta partida, o Vasco tem duas dúvidas no setor ofensivo. O centroavante Germán Cano se recupera de uma lesão muscular e esteve ausente dos últimos jogos da equipe. Ele seguirá com a delegação, mas sua presença não é garantida.

Outro que não tem presença garantida é Talles Magno. O atacante foi atingido na região do quadril durante a partida contra o Goiás e deixou o jogo ainda no primeiro tempo.

Já o meia Martín Benítez voltou a disputar uma partida. Fora da equipe desde 18 de outubro, o Ben 10 se recuperou das dores na coxa e entrou no segundo tempo contra o Goiás. Ele esteve em campo por pouco mais de 30 minutos, e a expectativa é de que possa atuar por mais tempo na Venezuela.

Publicidade

– O Bene vem de uma lesão que ainda não está 100%. Diante disso temos que integrá-lo de forma progressiva em competição. Ele hoje já teve 30 minutos, mas não sei se pra quarta-feira estará 100% ainda. Com certeza ou de início ou entrando no jogo, vai poder nos ajudar uma parte pelo menos. Pra 90 minutos, penso que ele ainda não está preparado. No entanto, é bom já tê-lo de volta e ter outra solução – comemorou Sá Pinto.

O Vasco não poderá contar com Léo Matos na quarta-feira. O lateral-direito que estreou na equipe com um gol em Goiânia, não está inscrito nessa fase da Sul-Americana. Com Cayo Tenório com Covid-19, ele deve ser substituído por Yago Pikachu.

Vasco e Caracas se enfrentam às 21h30 desta quarta-feira (de Brasília), no estádio Olímpico, na capital venezuelana.