Publicidade

Desde que o técnico Ricardo Sá Pinto foi anunciado como provável técnico do Vasco a sua polêmica vida como profissional foi divulgada pela imprensa brasileira. Desde uma agressão ao atacante Liedson, quando já era dirigente, a uma briga com o técnico do Anderlecht, a carreira dele é recheada de episódios fora da curva. Mas um fato curioso ilustra a forte personalidade do treinador: ele foi expulso de seu último jogo como profissional. Em seu relato um dos principais jornais portugueses na época publicou: ‘Rosto parece emanar ódio’.

Ricardo Sá Pinto está sem clube desde dezembro de 2019 (Foto: Reprodução)

A partida não foi um jogo de despedida de Sá Pinto, como se chegou a falar no Brasil. Era uma partida de fim de temporada e o atleta, então no Sporting, foi advertido com o cartão vermelho aos 43 minutos do segundo tempo.

Leia também:

Publicidade

Futuro de Valencia no Vasco depende do novo técnico; Patrick acertado
Mais um! Elogiado por Sampaoli, reforço argentino chega ao Vasco esta semana

Segundo relato do “Diário de Notícias” de Portugal, “aos 88 minutos do jogo com a Naval, o árbitro puniu com vermelho direto Sá Pinto. Na origem da expulsão estiveram os protestos do capitão do Sporting, que já havia anunciado que esta seria a sua última época.”.

Sá Pinto agrediu técnico da seleção portuguesa

Relato da imprensa portuguesa sobre Sá Pinto (Foto: Diário de Notícias)

Entretanto o que mais chama atenção é a forma como o jornal se refere ao jogador: “Ninguém ousa colocar em causa o seu profissionalismo, a forma com que se entrega ao jogo, e todos reconhecem que a sua carreira, que em 2001 parecia condenada devido à lesão no joelho direito, só durou todos estes anos devido ao caráter lutador. Contudo, o rosto Sá Pinto parece emanar ódio, sentimento que muitas vezes ao longo dos seus 14 anos de futebol, foi transportando para o relvado, com acções que prejudicaram a sua via profissional.”.

Publicidade

Como jogador Sá Pinto teve uma grande polêmica. Ele se irritou ao saber que não seria convocado para um amistoso com a Irlanda. O jogador não teve dúvidas de como resolver o problema: agrediu o técnico Artur Jorge e seu auxiliar Rui Águas. Resultado: ficou um ano sem poder atuar pois a Fifa tornou em mundial a punição internacional. Será que no Vasco o treinador exibirá um perfil mais tranquilo?