Publicidade

A Premier League, nas últimas três temporadas, viu Manchester City e Liverpool como protagonistas. E os rivais têm encontro marcado, neste domingo, às 13h30, num dos jogos mais aguardados do torneio inglês. A dupla tem impressionado de 2017 para cá, com campanhas avassaladoras e até mesmo briga palmo a palmo por título. Quais as razões para este predomínio azul e vermelho? O Mais Que Um Jogo mostra.

Klopp, do Liverpool e Guardiola, do Manchester City: não foi um bom dia para o futebol- Dave Thompson:Pool via Getty Images Klopp e Guardiola são razões para o sucesso de Liverpool e City | Dave Thompson:Pool via Getty Images

Manchester City e Liverpool são potências do mundo da bola e têm brilhado nos últimos anos. Desta forma, naturalmente, viraram referências. Os rivais que disputam mais um clássico na Premier League têm pontos em comum que explicam o sucesso da dupla.

Cinco razões para o sucesso de Manchester City e Liverpool

Grana para investir

Manchester City e Liverpool mostraram “apetite” no mercado da bola nas últimas temporadas. Os clubes contaram com investimentos vultuosos na formação dos elencos. O City, por exemplo, investe pesadamente em reforços para arrumar os problemas defensivos. Já o Liverpool, nos últimos anos, foi certeiro em contratações de peso, como Van Dijk e Alisson, impulsionado pela grana da venda de Philippe Coutinho para o Barcelona.

Liverpool buscou Alisson para resolver problema no gol | Foto: Premier League / Divulgação

Técnicos de ponta

Publicidade

Outra coisa em comum entre os dois é o sucesso dos técnicos. Guardiola foi contratado para consolidar o City, que já havia conquistado dois títulos de Premier League, desde que o bilionário Mansour bin Zayed al-Nahyan comprou o time, em 2008, e passou a injetar dinheiro. O técnico desembarcou na Inglaterra em 2016 e faturou um bicampeonato inglês, com destaque para a campanha da temporada 2017/2018, em que fez 100 pontos (recorde).

Guardiola, Manchester City Guardiola é um dos pilares do City | Foto: Manchester City / Divulgação

Já Klopp chegou ao Liverpool na temporada 2015/2016, com a missão de recolocar o time no caminho das grandes conquistas. E deu muito certo, depois de um período com adversidades. O Liverpool conquistou a Champions League, edição 2018/2019, e partiu em busca da “cereja do bolo”: a Premier League. Com uma campanha avassaladora, o time de Klopp foi campeão do torneio inglês, temporada 2019/2020, interrompendo um hiato de 30 anos.

Klopp é responsável direto pelo sucesso do clube | Foto: Liverpool / Divulgação

Modelo de jogo de Manchester City e Liverpool

Manchester City e Liverpool se caracterizam e brilham pela proposta de jogo. A do City com o jogo posicional de Guardiola, sempre buscando o ataque e ter a posse de bola, para controlar o jogo, em resumo. Já o Liverpool de Klopp é “rock” puro, com uma intensidade impressionante, com transições velozes e um apetite voraz para atacar e também retomar a bola.

Salah é uma das feras de Klopp no Liverpool | Foto: Site Liverpool / Divulgação

Contratações certeiras

Publicidade

Ederson, De Bruyne, Gündogan, Bernardo Silva, Sterling, Agüero… jogadores fundamentais para o Manchester City ao longo das últimas temporadas. A espinha dorsal do City foi buscada pelo clube no mercado da bola.

De Bruyne é um dos craques do time de Guardiola | Foto: Manchester City

O mesmo se pode dizer do Liverpool, que acertou em cheio em nomes como Alisson, Van Dijk, Salah, Mané e Roberto Firmino, especialmente.

Continuidade do elenco no Manchester City e no Liverpool

Em meio a tantas contratações, há também uma continuidade do elenco, uma base. No City, destaque para Agüero, Fernandinho, John Stones, Gündogan e Gabriel Jesus (os últimos três chegaram na primeira temporada de Guardiola e continuam como peças importantes do elenco).

Guardiola e Ederson: cavadinha vai colar? (Twitter Manchester City) Guardiola buscou Ederson em Portugal  (Twitter Manchester City)

Publicidade

No lado do Liverpool, destaque para Henderson e Milner, além de Mané, Firmino, Salah, Alisson e Van Dijk. O clube tem aproveitado uma espinha dorsal nas últimas temporadas e tem se dado bem.