Publicidade

A diretoria do Fluminense investirá em 2021 menos da metade do que orçou gastar com reforços para o elenco este ano. A proposta orçamentária elaborada pela gestão de Mário Bittencourt prevê uma redução de 11,2 milhões de Reais para apenas 5 milhões.

Flu gastou quase 5 milhões em 2020
só com Michel Araújo (Foto: Maílson Santana/FFC)

A situação pode piorar ainda mais, porque as projeções de arrecadação com bilheteria e patrocínios foram generosas. Mesmo sem previsão da volta do público aos estádios e sem um patrocinador máster, a diretoria projeta arrecadar 19 e 34,7 milhões com esses dois itens.

Com o clube em dificuldades financeiras, restará então à torcida ter paciência e acreditar nas revelações da base. Jogadores como Marcos Paulo e Luiz Henrique são a esperança de que o Flu possa ter um time competitivo.

Publicidade

Leia também:

Lisca e Dorival entram na mira do Fluminense para 2021

Rixa! Celso Barros volta a criticar gestão tricolor

Publicidade

Em 2020, o Fluminense colecionou fracassos dentro de campo, como a derrota para o Flamengo na final do Carioca e as eliminações prematuras na Sul-Americana e na Copa do Brasil. Contudo, a equipe vem fazendo boa campanha no Campeonato Brasileiro, e está na disputa por uma vaga na Libertadores do ano que vem.

Embora ainda esteja na briga, os resultados recentes, após a saída do técnico Odair Hellmann, começam a preocupar. Em duas partidas sob o comando de Marcão, o Tricolor tem um empate contra o Vasco e uma derrota diante do Atlético-GO. Além disso, caiu da quinta para a sétima colocação na tabela.

O time, portanto, se quiser retornar ao G-6, precisa reagir rápido, mas tem pela frente duas pedreiras, São Paulo e Flamengo, principais candidatos ao título.