Publicidade

O Fluminense voltou a esbarrar no problema de criação e, mesmo com um jogador a mais desde o primeiro tempo, perdeu para o Ceará: 1 a 0, neste domingo, no Castelão, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Não faltou luta ao Fluminense. A questão foi a dificuldade para superar a marcação do Ceará. O Flu insistiu muito nas bolas levantadas para área. A alta dupla de zaga cearense levou a melhor. Com um jogador a menos, os donos da casa se fecharam bem e seguraram a vitória – já venciam quando Gabriel Dias foi expulso, aos 28 minutos.

Caio Paulista Ceará x Fluminense Caio Paulista sofre com a forte marcação do Ceará | Foto: Mailson Santana / Fluminense / Divulgação

O Fluminense amarga segunda derrota seguida seguida – já havia perdido para o Santos – e não consegue entrar no G-6. O clube carioca está na oitava colocação, com 39 pontos. O Ceará, por sua vez, interrompe uma sequência de sete rodadas sem vencer (foram duas derrotas e cinco empates) e ganha fôlego na luta para escapar do rebaixamento: pulou para 36 pontos e para 11º lugar, no momento.

Relacionadas

Publicidade

Na próxima rodada, o Fluminense recebe o Sport, no Maracanã, sábado, às 21h (horário de Brasília). O Ceará tem mais um compromisso em casa, contra o Cuiabá, no Castelão, às 20h30 (de Brasília).

Fluminense cai diante do Ceará

O Ceará conseguiu dar o bote logo no começo do jogo. Aos três, Nino, que voltou a ser titular, chegou atrasado e tocou em Jael na área. Pênalti. Aos seis, Vina deslocou Marcos Felipe e fez 1 a 0. O Fluminense precisou sair mais. Entretanto, encontrava dificuldade para criar. A primeira chance tricolor foi aos 24, quando Abel Hernández recebeu cruzamento, girou e chutou para fora, mas sem tanto perigo.

Arias Ceará x Fluminense Arias foi marcado de perto | Foto: Mailson Santana / Fluminense / Divulgação

O Fluminense ficou em vantagem numérica ainda no primeiro tempo, aos 28 minutos. Gabriel Dias deu uma entrada dura em Marlon. O VAR, José Claudio Rocha Filho (SP), recomendou a revisão do lance. O árbitro Raphael Claus (SP), então, expulsou o lateral-direito. Tiago Nunes tirou o centroavante Jael e colocou Igor no Ceará.

Publicidade

O clube carioca passou a pressionar, mas insistia em cruzamentos e parava na alta zaga do Ceará. Os donos da casa recuaram e demoraram a ameaçar em contra-ataque. No fim do primeiro tempo, Erick recebeu de Vina e chutou para fora. Nos acréscimos, Abel Hernández finalmente ganhou pelo alto e cabeceou para fora, com perigo, na melhor chance do Fluminense na etapa inicial. Samuel Xavier ainda desceu pela direita e chutou cruzado. João Ricardo espalmou.

Marcão voltou para o segundo tempo com duas mudanças, na tentativa de colocar o Fluminense ainda mais para frente. Ele colocou Gustavo Apis e Fred, que retornou de contusão após três semanas. Saíram André e Caio Paulista.

O Flu, com mais posse de bola, buscava furar a retranca do Ceará. Após cruzamento da direita, Apis finalizou para fora. Depois foi a vez de Fred cabecear para fora. O clube carioca chegou a marcar, com Lucca, após bola recuperada na intermediária, mas o atacante, que entrou no segundo tempo, estava impedido.

Publicidade

O Ceará respondeu com Rick, que entrou no time. Ele obrigou Marcos Felipe a salvar. O Fluminense ensaiou uma pressão na reta final. Bobadilla, que entrou no lugar de Abel, quase empatou, mas o Tricolor Carioca amargou mesmo a derrota.

FICHA TÉCNICA

CEARÁ 1X0 FLUMINENSE

Local: Castelão, Fortaleza (CE)
Data: 31/10/2021, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Evandro de Melo Lima (SP)
VAR: José Claudio Rocha Filho (SP)
Cartão amarelo: André e Fred (Fluminense) e Fabinho, Mendoza, William Oliveira e Messias (Ceará)
Cartão vermelho: Gabriel Dias (Ceará)
Gol:
Ceará: Vina, aos 6′ do 1ºT
Fluminense:

Publicidade

CEARÁ: João Ricardo; Gabriel Dias, Messias, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Fabinho, Fernando Sobral (Rick) e Vina (William Oliveira); Erick (Gabriel Lacerda), Mendoza (Gabriel Santos) e Jael (Igor). Técnico: Tiago Nunes.

FLUMINENSE: Marcos Felipe; Samuel Xavier, Nino, David Braz e Marlon (Danilo Barcelos); Martinelli, André (Gustavo Apis) e Arias; Luiz Henrique (Lucca), Caio Paulista (Fred) e Abel Hernández (Bobadilla). Técnico: Marcão.

Comentários