Publicidade

De 2011 a 2020, o Flamengo viveu uma década de muitas emoções. De contratações de peso, de guinada de gestão, de títulos inesquecíveis e também da maior tristeza da história do clube: a tragédia no Ninho do Urubu.

LEIA MAIS! Arrascaeta: ‘Chegaram propostas e o melhor é seguir no Flamengo’

O ano de 2019 foi o mais marcante da década rubro-negra. E de muito choro, seja pela tristeza, dor e luto pela tragédia no centro de treinamento rubro-negro, seja de alegria, euforia e catarse pela conquista da Libertadores de 2019.

Publicidade

LEIA MAIS! Joia assina contrato profissional com Flamengo; multa é de R$ 313 milhões

A década também marcou uma guinada administrativa/financeira do Flamengo. O clube passou por uma reformulação e se consolidou como uma potência econômica, pavimentando o caminho em busca de uma hegemonia.

Dez momentos marcantes do Flamengo na década

R-10 no Flamengo

A década rubro-negra começou com uma grande contratação. No dia 10 de janeiro de 2011, o Flamengo anunciou a contratação de Ronaldinho Gaúcho. A Gávea ficou pequena para a apresentação do craque. O começo da trajetória foi promissor, com título invicto do Carioca. Era o Bonde do Mengão Sem Freio. Depois, porém, as coisas se complicaram.

Ronaldinho Flamengo O anúncio de Ronaldinho pelo Flamengo | Foto: Divulgação

Publicidade

Ronaldinho, na figura do irmão Assis, começou a entrar em litígio com o Flamengo após atraso salariais. Houve um desacordo entre o clube e a empresa de marketing que bancaria a maior parte dos vencimentos do craque. O Fla ficou com “conta” e não conseguia honrar os compromissos. A relação se deteriorou. Em 2012, R-10 entrou na Justiça e se desligou do clube, além de cobrar uma indenização milionária.

Eleição de Bandeira de Mello

Em 2012, o Flamengo deu o primeiro passo no sentido da reestruturação. A chapa comandada por Eduardo Bandeira de Mello ganhou a eleição em dezembro daquele ano e, a partir de 2013, iniciou uma política de austeridade para colocar o clube nos trilhos. A diretoria passou a cortar custos e trabalhou para recuperar a credibilidade do Rubro-Negro.

O Flamengo de Bandeira de Mello também está sendo cauteloso (Divulgação) Bandeira de Mello dirigiu o Flamengo de 2013 a 2018 | Foto: Divulgação

O Flamengo atacou as dívidas e trabalhou para aumentar as receitas. Rapidamente, o cenário de insolvência deu lugar à esperança de dias melhores e de fortalecimento financeiro. Foi o caminho para colocar o clube como uma potência econômica.

A Copa do Brasil de 2013

Publicidade

No dia 27 de novembro de 2013, o Flamengo conquistou a Copa do Brasil. No Maracanã lotado, o Rubro-Negro fez 2 a 0 sobre o Athletico-PR, gols de Elias e Hernane Brocador, e faturou o título. A campanha coroou um ano espetacular de Hernane, além de Elias, outro destaque daquele ano.

Flamengo Copa do Brasil 2013 Flamengo faz a festa no Maracanã: campeão da Copa do Brasil de 2013 | Foto: Flamengo / Divulgação

O Caso André Santos

Ainda festejando o título da Copa do Brasil, o Flamengo se viu em um problema e tanto. O lateral-esquerdo André Santos foi escalado irregularmente contra o Cruzeiro, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2013. O jogador foi julgado pela expulsão na final da Copa do Brasil e levou gancho que deveria ter cumprido no Brasileiro.

André Santos Flamengo Copa do Brasil Flamengo foi punido no Caso André Santos | Foto: Alexandre Vidal e João Vitor / Fla Imagem / Divulgação

O lateral não jogou contra o Vitória, partida anterior ao jogo contra o Cruzeiro e também anterior ao julgamento. O Flamengo, então, foi penalizado com a perda de quatro pontos – três de punição e um do empate contra o Cruzeiro.

Publicidade

O Flamengo correu risco de rebaixamento. O clube rubro-negro ficou com 45 pontos, um a mais do que a Portuguesa, que foi punida pela escalação irregular do meia Héverton.

Acabou o caô

Em 2015, o Flamengo contratou com pompa o peruano Guerrero. A torcida rubro-negra se animou e logo entoou pelo Maracanã: “Acabou o caô, o Guerrero chegou.” O centroavante peruano significa a guinada financeira do clube. A partir dali, o Fla mostrou sua força financeira e passou a enfileirar contratações de impacto.

Contratação de Guerrero, em 2015, mudou o Fla de patamar | Foto: Divulgação Flamengo

A maior tristeza da história do Flamengo

O Flamengo viveu o pior dia de sua história no dia 8 de fevereiro de 2019. Um incêndio no Ninho do Urubu, centro de treinamento rubro-negro, atingiu o alojamento das categorias de base e vitimou dez meninos: Athila Paixão, Arthur Vinícius, Bernardo Pisetta, Christian Esmério, Jorge Eduardo, Pablo Henrique da Silva Matos, Vitor Isaías, Samuel Thomas, Rykelmo Viana e Gedson Santos.

Incêndio no Ninho do Urubu é o pior episódio da história do Flamengo | Foto: Divulgação

Publicidade

A investigação sobre o incêndio continua. Os órgãos competentes ainda não responsabilizaram possíveis culpados pela situação. O clube ainda não chegou a acordo com todas as famílias das vítimas fatais.

A chegada de Jesus ao Flamengo

O Rubro-Negro buscou um técnico estrangeiro para o lugar de Abel Braga, que pediu demissão por, na justificativa dele, descobrir que o clube procurava outro treinador. No dia 1º de junho, Jorge Jesus foi anunciado pelo Flamengo. O “resto” é história…

A chegada de Jesus ao Flamengo | Foto: Divulgação

Jesus logo deu liga a um time recheado de feras, como Diego Alves, Rafinha, Filipe Luís, Gerson, Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol, entre outros. O Flamengo passou a atropelar os rivais e caminhou para a história.

A glória em Lima

Publicidade

Trinta e oito anos depois, o Flamengo soltou o grito entalado na garganta e o choro de catarse após uma final épica. Dia 23 de novembro de 2019. Lima, Peru. O Rubro-Negro escreveu um capítulo recheado de drama e euforia. O Fla virou para cima do River Plate e conquistou o bicampeonato da Libertadores.

Gabigol, Flamengo Gabigol comemora com a torcida rubro-negra em Lima | Foto: Reprodução Twitter

Após um primeiro tempo ruim, em que viu o River Plate sair na frente, o Flamengo reagiu na etapa final, impulsionado pela torcida que estava em Lima. Aos 43 minutos, Arrascaeta cruzou para Gabigol empatar. Três minutos depois, a glória. Diego lançou, a zaga argentina não conseguiu cortar e Gabriel Barbosa estufou a rede, levando ao delírio a torcida rubro-negra. O Fla, enfim, voltou a ser campeão da Libertadores.

Título brasileiro quase que em cima do trio elétrico

O dia 24 de novembro de 2019 foi de festa e de título. A Nação tomou a Presidente Vargas, no Centro do Rio, para comemorar o título da Libertadores com os jogadores. O desfile acabou à tarde. Um pouco depois, o Palmeiras não ganhou seu jogo e o Flamengo garantiu matematicamente o título brasileiro.

Flamengo A festa do Flamengo na Presidente Vargas | Foto: Wagner Meier/Getty Images

Mister deixa o Flamengo

Publicidade

O ano de 2020 começou com mais títulos para o Flamengo, que ganhou a Recopa Sul-Americana e a Supercopa do Brasil. Faltava garantir a permanência do Mister. Ele chegou a renovar com o clube carioca por mais um ano. Porém, em meio à pandemia da Covid-19 e após o título do Carioca, Jesus aceitou oferta do Benfica e deixou o Flamengo.

Jesus Flamengo Jesus se despediu após título do Carioca | Foto: Alexandre Vidal / Flamengo / Divulgação