Publicidade

Durante a pandemia do Coronavírus alguns clubes ensaiaram uma aproximação no sentido de criar uma liga para organizar o futebol brasileiro. Se falava em um projeto envolvendo os clubes das Séries A e B. Entretanto a coisa ainda não avançou. Apesar disso segue no radar. Entretanto a polêmica envolvendo ingressos esta semana mostra que os avanços neste sentido precisam de muitas arestas aparadas.

Na Série B o Goiás não deixou o Botafogo ter torcida no choque direto entre os dois times. A diretoria goiana alegou que não havia tempo suficiente para se programar mesmo com a determinação da CBF liberando os clubes de terem torcidas visitantes no estádio.

Botafogo Torcida do Botafogo não viu jogo em Goiás (Foto: Vitor Silva / Botafogo / Divulgação)

Um pouco de boa vontade dos goianos poderia resolver o assunto. Mas no fim a torcida do Botafogo não viu o empate por 1 a 1.ç Algo que revoltou até seus jogadores.

Publicidade

– A organização péssima do jogo. O nosso torcedor queria comprar ingresso e ver o jogo. Mas infelizmente não deu – reclamou o zagueiro Joel Carli.

MAIS! Borussia entrega porque Haaland não foi para o Manchester United

Se um time carioca foi vítima, outro quer ser algoz neste sentido. O Flamengo ignorou os pedidos do Atlético-MG para a sua torcida ter público no duelo entre eles neste sábado. Os times se enfrentam pelo Campeonato Brasileiro.

Relacionadas

Dusan Vlahovic Fiorentina
Guardiola Manchester City

O Galo teve que ir ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que obrigou o Flamengo a se posicionar. Os dois clubes têm liderança na reorganização do futebol brasileiro e isso mostra que a aproximação ainda está longe.

Fla-Flu foi um bom exemplo

CBF ainda não tem clubes organizados como rival (Foto: CBF/Divulgação)

Publicidade

Mas ainda há esperança. Na semana passada o Fluminense, mesmo podendo reservar apenas dez por cento da carga de ingressos para o Flamengo, optou por dividir de maneira igual. Assim as duas torcidas puderam ver em número igual o triunfo tricolor por 3 a 1.

Flamengo e Fluminense dividem a organização e administração do Maracanã. A gestão compartilhada tem sido um bom exemplo de relacionamento entre clubes. Mas isso infelizmente ainda não é maioria no futebol brasileiro.

Comentários