Botafogo se ‘cansa de justificativas’ e busca soluções contra a degola

publicado em 11/01/2021 às 13:37

A situação do Botafogo fica mais dramática a cada rodada. A derrota para o Vasco, neste domingo, em São Januário, foi mais um capítulo de agonia. O técnico Eduardo Barroca não joga a toalha e acredita na permanência. Porém, ele destaca que o Fogão precisa mostrar em campo que pode se salvar do rebaixamento.

Barroca Botafogo

Barroca tenta salvar o Botafogo | Foto: Vitor Silva / Botafogo / Divulgação

“Nove jogos equivalem a 27 pontos. Esses 27 pontos nos dão a possibilidade de sair dessa situação que a gente se encontra. Nesse momento, não é a minha fala que vai dar conforto ao torcedor, com certeza. Eu preciso trabalhar, preciso cobrar e preciso encontrar soluções. Não só eu, todos nós, jogadores, comissão técnica e direção. Precisamos nos unir, saber da nossa realidade, saber que a gente precisa reverter uma adversidade que vem desde o início da temporada e a gente está trabalhando para tentar reverter, mas não está conseguindo dentro de campo”, declarou Barroca.

LEIA MAIS! Barroca quer reunião com diretoria para debater futuro do Botafogo

No Botafogo, não há mais espaço para justificativas. O time precisa reagir para buscar a permanência na elite do Campeonato Brasileiro.

“Não adianta eu chegar aqui na frente do torcedor e dar justificativa oral. A gente precisa transferir tudo aquilo que a gente trabalha no dia a dia, de atitude, para dentro de campo e superar os adversários. É muito simples. Só assim que a gente vai conseguir, jogo a jogo, jogar bem, pontuar e brigar pelo nosso objetivo”, acrescentou o técnico do Fogão.

Botafogo vive drama

O Botafogo vem de três derrotas seguidas, que complicaram ainda mais a vida do clube. O Fogão está na 19ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 23 pontos, nove a menos do que o Fortaleza, primeiro time fora do Z-4.

Com a corda no pescoço, o Botafogo volta a campo no domingo, para enfrentar o Santos, às 16h, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Deixe seu comentário:

Comentário