Publicidade

Dizem que a semana do aniversário é a do inferno astral de qualquer pessoa. Astrologia à parte, no caso do Vasco é verdade. Desde que o time levou a virada de 2 a 1 para o Londrina, em casa, na quarta-feira passada, que a coisa desandou de vez.

No sábado, o time sofreu a terceira derrota seguida pela Série B do Campeonato Brasileiro, no dia que comorou o aniversário de 123 anos. Como forma de protesto, a torcida se manifestou pichando a entrada de São Januário e a megaloja do clube que fica ao lado no domingo.

Torcida picha os muros do clube. Pode isso? (Foto: Twitter)

Esta é a pior campanha da equipe nas quatro vezes que disputou a segunda divisão. A ameaça de não repetir o feito de retornar à Série A em uma temporada é, portanto, bastante real a esta altura.

Publicidade

MAIS! Lisca se reuniu com dirigentes sobre reforços

Em 2009 e 2016, o Vasco era líder ao final da 20ª rodada, com 42 e 40 pontos, respectivamente. Atualmente, o Cruzmaltino aparece na 11ª colocação, com 28 pontos. Além disso, o time da cruz de malta ainda não terminou uma rodada sequer no G-4, fato inédito nas outras campanhas.

Relacionadas

MT Vasco

O principal alvo dos protestos foi a diretoria cruzmaltina, embora jogadores e comissão técnica também terem sido citados. Mas o técnico Lisca ainda goza de um certo prestígio com o torcedor. Sincero, ele reconhece que a situação é ruim e promete trabalhar por mudanças.

Publicidade

– São 30 anos de luta para ter uma oportunidade como essa em um clube do tamanho do Vasco, e os resultados são determinantes. Realmente, estou muito chateado por não conseguir responder ao torcedor do Vasco a expectativa grande que tinham em mim – afirmou o treinador.

Lisca lamenta a má fase

O treinador do Vasco vê a fase não ajudando.

– Há momentos que a bola não entra, mas acredito em trabalho e competência. Trabalho não está faltando, está faltando competência para fazermos os gols. Acredito em trabalho, convicção, qualidade, e isso que vou fazer a partir de amanhã para dar todas as respostas ao torcedor do Vasco – completou.

Publicidade

Com oito dias de intervalo até a próxima partida, no domingo contra a Ponte Preta, a resposta em campo tem que vir logo. Na sequência, o Vasco vai enfrentar o Brasil de Pelotas, também em casa, seis dias depois. Assim, com dois jogos seguidos em São Januário, contra equipes que estão na parte debaixo da tabela, o time tem obrigação de vencer.

Comentários