Publicidade

O processo eleitoral do Vasco continua motivando polêmicas. Tentando evitar um longo e tortuoso processo judicial acerca das eleições no Vasco da Gama, o atual presidente Alexandre Campello busca a realização de um novo pleito.

Alexandre Campello sugeriu data do dia 12 (Foto: Twitter)

O departamento jurídico do clube enviou requerimento ao desembargador Camilo Ruliere, da primeira câmara cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, para que o juiz considere o encerramento das presentes ações e intervenha com a marcação de novas eleições.

“Em suma, Exa. a verdade é que nenhuma das eleições realizadas até aqui mostra-se hígida o suficiente para definir o futuro da instituição. Serão anos de litígios sem fim, falta de segurança jurídica e incertezas que apenas contribuirão para o enfraquecimento do Clube,” alega o requerimento da administração vascaína.

Publicidade

“Parece ao Clube que ambos os pleitos estão manifestamente contaminados e viciados por questões que não são passíveis de serem sanadas neste momento, o que recomenda, à toda evidência, a realização de uma nova eleição,” continua.

Leia também:

Vasco viaja com muitos desfalques para a Argentina
Falta de experiência internacional é desafio do Vasco na Sul-Americana

Publicidade

O Vasco realizou duas eleições em novembro, uma exclusivamente presencial no dia 7, e outra híbrida no dia 14. O pleitos foram marcados por liminares na Justiça e várias irregularidades, especialmente o primeiro, quando o candidato Leven Siano foi declarado vencedor.

Siano critica postura de Campello

Jorge Salgado, Vasco Jorge Salgado, ao centro, comemora vitória no último pleito (Foto: Divulgação)

Através de sua conta no Twitter, Siano, que se considera eleito, criticou a atitude de Campello.

“Máscaras caíram. Unidos contra a democracia, a vontade das urnas e a esperança dos torcedores. Unidos em favor da canalhice, da mesmice, do atraso e do continuísmo. Suas faces e seu caráter estão expostos diante de milhões. Para o tremendo azar de vocês, confiamos na Justiça,” postou.

Publicidade

O candidato Jorge Salgado, que triunfou no pleito do dia 14, adotou postura mais conciliatória. A informação é do jornalista Lucas Pedrosa, da Band.

“Acredito muito na correção e idoneidade da eleição do dia 14 perante à Justiça. Ainda assim, se a Justiça determinar outra solução, acataremos, como sempre fizemos ao longo deste processo,” afirmou Jorge Salgado.

A solução do imbróglio jurídico que se tornou o processo eleitoral no Vasco segue na mão da Justiça. Se ela acatar o pedido de Campello, uma nova eleição deve acontecer no dia 12 de dezembro. O mandato da atual administração termina em 19 de janeiro.