Publicidade

Após nova derrota, o Vasco vai ficando cada vez mais longe do acesso à Série A. A equipe cruzmaltina não consegue superar a má fase e soma quatro derrotas nos últimos seis jogos. Revoltados, os vascaínos apontam suas maiores críticas não ao time ou seu treinador, mas ao presidente Jorge Salgado.

Na noite desta segunda-feira, o Vasco enfrentou o Avaí, na Ressacada, e perdeu por 3 a 1. Os protestos contra o mandatário começaram ainda em Florianópolis, com a organizada “Força Jovem” estendendo faixas do lado de fora da Ressacada. Os dizeres “Fora Salgado” e “Presidente Pinóquio” foram acompanhados de cantos da torcida em vídeo nas redes sociais.

Torcida Força Jovem protesta na Ressacada após derrota do Vasco (reprodução Twitter)

Pelo Twitter, grupos como o “ArquibaVasco” e o “Sempre Vasco” também demostraram sua indignação:

Publicidade

“O ArquibaVasco é um grupo que nasceu pra defender os interesses do Vasco acima de tudo. Nunca nos omitimos e nem ‘passamos pano’ para ninguém. Mudanças são necessárias e não temos mais tempo. SEJAM HUMILDES. Pelo BEM do Vasco, renunciem.”

Leia Também:

Vasco perde para o Avaí e se complica ainda mais na Série B

Romulo desabafa no Vasco e vê time longe do acesso

Publicidade

“Sempre Vasco Oficial @semprevascoofic
No pior momento da historia do Vasco precisamos de mais união e menos política. Temos apresentado sugestões para o futebol desde o início. Salgado não aceitou. Não seremos omissos. Convocaremos os vascaínos que podem e querem ajudar.🧶

Vivemos uma situação insustentável presos numa gestão obsoleta do futebol. Salgado deve reconhecer que não deu certo, antes que a esperança de reverter essa situação desapareça. Nós, vascaínos, não aguentamos mais. #SempreAoLadoDoVasco”

Apesar do resultado, a equipe segue em nono lugar na tabela, mas este foi apenas o primeiro jogo da 23ª rodada. Até sábado, o Cruzmaltino ainda pode perder duas posições.

Relacionadas

Publicidade

Entretanto, o maior prejuízo na rodada será ver a distância para o G-4 aumentar. Como o Vasco permanece com os mesmos 32 pontos, então se os concorrentes do G-4 vencerem a diferença crescerá. Os seis pontos atuais podem virar nove até o próximo sábado.

Comentários