Publicidade

A trajetória de Ricardo Sá Pinto no Vasco terminou nesta terça-feira, quando foi demitido. O técnico português escreveu uma carta de despedida ao clube, em que declara que levaria o Gigante da Colina à Sul-Americana.

Ricardo Sá Pinto Vasco Ricardo Sá Pinto se despede do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro/CRVG)

“Saio inconformado por não ter podido concluir o projeto idealizado. Os próximos jogos contra adversários diretos, que há muito aguardávamos, iam permitir-nos sair do Z-4 e alcançar a Sul-Americana. A nossa visão ia mais longe, levando este clube a disputar outros objetivos e títulos que merece. Cheguei e parto com a convicção de que esta deveria ter sido uma longa relação, alcançando patamares maiores.Saio também convicto de que demos tudo, eu e a minha equipa técnica”, postou Sá Pinto.

LEIA MAIS! Pode isso, Arnaldo? Os memes da demissão de Sá Pinto no Vasco

Publicidade

O técnico português também lamentou os problemas vividos pelo Vasco e aproveitou para agradecer a diretoria e jogadores do clube.

LEIA MAIS! Luxemburgo nega ter recebido convite do Vasco

“Infelizmente, chegamos ao clube num momento conturbado, tanto pelos acontecimentos recentes, mas também por anos de descuido e aproveitamento que em nada beneficiaram o nosso Gigante da Colina. Agradeço o apoio da direção que só não fez mais, e não nos deu melhores condições, por ter herdado esse pesado fardo. Agradeço aos meus jogadores pelo profissionalismo, e a todo o staff no clube e no CT pelo empenho e dedicação”, acrescentou.

Ricardo Sá Pinto no Vasco

Publicidade

O técnico português foi o escolhido para substituir Ramon Menezes, mas o trabalho não emplacou. Sá Pinto comandou o Vasco por apenas 15 jogos e venceu só três.

Com ele, o Vasco foi eliminado na Copa Sul-Americana e está na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O Gigante da Colina é o 17º colocado, com 28 pontos.

A mensagem de despedida de Sá Pinto

“É com muita pena que hoje deixo de ser um de vocês. Foi um orgulho representar um clube com a grandeza e a tradição do Vasco. Saio inconformado por não ter podido concluir o projeto idealizado. Os próximos jogos contra adversários diretos, que há muito aguardávamos, iam permitir-nos sair do Z-4 e alcançar a Sul-Americana.

Publicidade

A nossa visão ia mais longe, levando este clube a disputar outros objetivos e títulos que merece. Cheguei e parto com a convicção de que esta deveria ter sido uma longa relação, alcançando patamares maiores.Saio também convicto de que demos tudo, eu e a minha equipa técnica.

Infelizmente, chegamos ao clube num momento conturbado, tanto pelos acontecimentos recentes, mas também por anos de descuido e aproveitamento que em nada beneficiaram o nosso Gigante da Colina. Agradeço o apoio da direção que só não fez mais, e não nos deu melhores condições, por ter herdado esse pesado fardo. Agradeço aos meus jogadores pelo profissionalismo, e a todo o staff no clube e no CT pelo empenho e dedicação.

Por último, a palavra mais importante, a quem é a fundação deste clube: Vocês, os vascaínos. A maior pena que tenho é não poder ter tido a companhia de vocês e apoio num São Januário cheio, pois não duvido que seria uma experiência única, e faria a diferença no apoio ao time. Deixo de ser o técnico do Vasco, mas levo o clube no meu coração!”