Publicidade

O Vasco vive um novo surto de Covid e alguns jogadores positivados meses atrás testarem positivo novamente. A insegurança gerada com a polêmica das reinfecções no Vasco colocou em xeque a premissa de que os atletas diagnosticados no passado estariam seguros. Contudo, segundo o diretor médico do Cruzmaltino, o Dr. Marcos Teixeira, há uma explicação para o ocorrido.

Talles e Werley foram casos apontados como reinfecções no Vasco (Divulgação CRVG)

Henrique, Lucas Santos e Léo Matos são os únicos jogadores do Vasco que ainda não tiveram Covid-19. Entretanto, o atacante Talles Magno e o zagueiro Werley, testaram positivo pela segunda vez.

– Muito tem se falado em reinfecção, mas realmente comprovado mundialmente só existem 25 casos. Eu julgo que muitos dos casos que se falam em reinfecção hoje em dia são em decorrência de erros de diagnóstico. Antigamente nós usávamos testes que nós não usamos mais hoje em dia. Houve uma grande evolução em tecnologia no diagnóstico disso, e mesmo de critérios de diagnóstico – esclareceu o Dr. Marcos Teixeira em entrevista à Rádio Tupi.

Publicidade

– Então lá no Vasco a gente teve alguns diagnósticos que à época acreditávamos que era um confirmado de Covid. Nós afastamos e fizemos todos os protocolos, e um ou outro atleta agora já positivou novamente. Mas olhando pra trás a gente sabe que talvez o teste que a gente acreditava ser bom na época, não era tão bom ou os critérios eram outros. E hoje a gente tem um diagnóstico mais certo da infecção – completou.

Leia também:

Vasco deve ter zaga titular para duelo na Argentina

Destaque no Morumbi, Lucão está confirmado na Sul-Americana

Publicidade

Além dos jogadores, o surto atual atingiu membros da comissão técnica. O técnico Ricardo Sá Pinto, o auxiliar Rui Mota e o preparador físico João Moreira também testaram positivo. O trio, portanto, será desfalque na partida desta quinta-feira contra o Defensa y Justicia, pela Copa Sul-Americana. O auxiliar Alexandre Grasseli vai comandar o time na Argentina.