Publicidade

O Vasco terá um alívio de quase 500 mil Reais mensais em sua folha de pagamentos neste final de ano. Chegará ao fim o contrato de dois jogadores que a torcida não vê em campo há bastante tempo. O lateral-esquerdo Ramon e o zagueiro Breno vão se despedir de São Januário em 31 de dezembro deste ano.

Ramon (Divulgação/CRVG)

 

Nos últimos quatro anos, a passagem da dupla pelo Vasco foi marcada por lesões e pouco tempo em campo. Ambos estão sem jogar desde 2018, e custaram ao clube quase 17 milhões sem dar retorno, segundo levantamento do jornalista Flávio Dias, do Canal Atenção Vascaínos.

Publicidade

Campeão da série B em 2009 e da Copa do Brasil em 2011, Ramon deixou o Vasco para retornar em 2017. No final daquele ano, entretanto, rompeu os ligamentos do joelho direito. Ficou parado por 7 meses antes de retornar, mas voltou a se lesionar em 2018. A lesão foi a mesma, mas no joelho esquerdo.

Aos 32 anos, Ramon passou então os últimos quase três anos tentando se recuperar. O jogador convive com dores e pode nem voltar a jogar.

Ao todo, entre 2017 e 2020, em 48 meses portanto, Ramon ficou sem atuar por 32. Neste período de inatividade, o Vasco gastou 7,8 milhões de Reais com seus salários.

Publicidade

Leia também:

Só decisão favorável a Siano manterá Benítez no Vasco

Jorge Salgado espera sair vencedor após julgamento de eleição

Prejuízo com Breno supera o de Ramon

Breno marcou o gol único do Vasco contra o Vitória, mas o time carioca cedeu o empate (Paulo Fernandes - Vasco) Breno não atua desde agosto de 2018 (Foto: Paulo Fernandes – Vasco)

Publicidade

O caso do zagueiro Breno, de 31 anos é ainda pior. Chegou em 2017 e fez dupla de sucesso com Anderson Martins, mas a boa fase durou pouco. O zagueiro lesionou o joelho em partida na Arena da Baixada e ficou parado por 4 meses e meio. Em maio, ele retornou, contudo, em agosto de 2018 fez seu último jogo pelo Vasco, contra a LDU.

Breno passou 33 meses sem atuar pelo Cruzmaltino, em seus quatro anos no clube. Com salário maior do que o de Ramon, custou ao Vasco 8,75 milhões sem entrar em campo.