Publicidade

Não faltaram polêmicas com a arbitragem no duelo entre Vasco e Cruzeiro no último domingo, pela 25ª rodada da Série B. Os dois times saíram insatisfeitos de campo e, por coincidência, acabaram se encontrando novamente nesta segunda-feira. Desta vez, contudo, o encontro se deu na sede da CBF, no Rio de Janeiro, onde ambos foram reclamar com a Comissão de Arbitragem.

Na reunião conjunta, os dirigentes das duas equipes apresentaram suas reclamações sobre o trabalho do árbitro André Luiz de Freitas Castro. Além disso, puderam conferir as imagens do VAR da partida.

Vasco e Cruzeiro empataram em São Januário e ficaram na bronca com a arbitragem (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Em entrevista à Rádio Tupi, o 1º vice geral do Vasco, Carlos Roberto Osório, reafirmou o ponto de vista cruzmaltino. No entendimento dos dirigentes da equipe carioca, suas reclamações tinham mérito enquanto as da Raposa não.

Publicidade

– Revendo os lances com a direção do Cruzeiro e também com a Comissão Nacional de Arbitragem, pra nós ficou muito claro. Na questão da reclamação do Cruzeiro sobre o pênalti que teria sido cometido pelo Marquinhos Gabriel, a reclamação era improcedente – afirmou Osório.

Leia Também:

Diniz pede voto de confiança para a torcida do Vasco

Vasco tem sequência para diminuir distância para o G-4

Publicidade

O dirigente admitiu o agarra agarra na área do Vasco em um escanteio para o Cruzeiro, mas isso aconteceu antes da cobrança e sem a bola em jogo. O árbitro, portanto, acertou em não assinalar o pênalti.

No lance do gol do atacante vascaíno Daniel Amorim, anulado por conta de uma suposta mão no lance anterior, o entendimento foi diferente.

– Já no lance que reclamava o Vasco da Gama, algumas coisas ficaram também bastante claras pelas imagens e pelo áudio do VAR. Eu não fiquei convencido de que foi mão. Tinha apenas uma câmera frontal e não fica claro se a bola bate ou não na mão do Pec. Pra mim e pro Vasco, a marcação da mão foi irregular, ou seja, não há clareza pra isso. Na nossa visão, errou o árbitro de campo e errou também o VAR – relatou.

Relacionadas

Fernando Diniz Vasco

Publicidade

Para os dirigentes cruzmaltinos, o Vasco teve mais uma vez um prejuízo por causa de erros da arbitragem nessa Série B.

– A verdade é a seguinte, o Vasco foi prejudicado. Essa é a nossa visão e fomos lá apresentar o nosso protesto à CBF. Infelizmente, em três jogos, dois gols legais anulados do nosso atleta Daniel Amorim, e quatro pontos a menos na conta do Vasco – concluiu.

Vasco e Cruzeiro empataram em 1 a 1. Após liderar boa parte do jogo pela vantagem mínima, o Cruzmaltino ampliou com Daniel Amorim aos 45 da segunda etapa. Mas o gol não valeu e quatro minutos depois, a Raposa empatou.

Comentários