Publicidade

O elenco do Vasco assume a maior parcela de responsabilidade pelo fracasso na Série B. É isso o que indica o zagueiro Leandro Castán, referência e líder do plantel.

Em entrevista ao programa “Cara a Tapa”, do jornalista Rica Perrone, Castán revelou o sentimento do elenco com relação ao fracasso na temporada. Embora sem conseguir explicar o que deu errado, ele admite que a maior parcela de responsabilidade foi dos jogadores.

Castán Vasco Leandro Castán projeta mudanças para 2022 (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

– É inexplicável. E assim, eu falo que a responsabilidade é 90% dos jogadores. A gente sabe lá e todo mundo concordou com isso, que quem foi responsável foi a gente, jogador. Porque na hora de chegar, de ter personalidade, o culhão mesmo, a gente não foi. Em vez de ir pra frente, foi pra trás. E acabou que estourou pro Diniz, pro Pássaro – afirmou Castán.

Relacionadas

Nenê Vasco

Publicidade

Castán foi além e elogiou bastante o trabalho de Fernando Diniz, que assumiu já na reta final. Marcelo Cabo e Lisca foram outros técnicos do Vasco na Série B.

MAIS! Vasco amplia nomes na lista para departamento de futebol

– É um dos grandes treinadores que eu tive, cara. Pra mim ali, Tite é o primeiro e o Diniz vem logo ali também, cara. Para mim, se o Diniz pega um grande clube na Europa, com tranquilidade para trabalhar, ele ia ser um dos melhores treinadores do mundo – elogiou.

Castán projeta mudanças no Vasco

Publicidade

Sobre o futuro do time, Castán entende que serão necessárias mudanças para o ano que vem.

– Vai ter que ser mexido, não tem jeito. Será o trabalho de quem chegar, e tem muitos jogadores em fim de contrato. Vai sair muita gente e vai ter uma nova reconstrução. O bom é que agora vai ter um pouco de espaço entre um campeonato e outro – concluiu.

O Vasco cumpre tabela e fecha sua temporada neste domingo contra o Londrina, fora de casa.

Comentários