Publicidade

A derrota de 2 a 0 para o Avaí parece ter acabado com a paciência do torcedor do Vasco. Todos acreditavam que o time, que tinha vencido por 2 a 1 o Brasil de Pelotas no Rio Grande do Sul, conseguiria embalar jogando em casa. Mas o que se viu foi uma atuação apático e um clima após o jogo pesado demais. O clube está vendo em menos de 24 horas muros pichados, trocas de acusações de dirigentes e violência contra jogadores.

Logo após o apito final torcedores se reuniram no entorno de São Januário para protestar e vários muros foram pichados. O alvo principal da ira da torcida foi a diretoria comandada por Jorge Salgado, mas sobrou até para alguns jogadores, como Léo Jabá, que teve seu carro apedrejado. O novo presidente assumiu em janeiro após um conturbado processo eleitoral que teve início em novembro. Duas eleições foram realizadas e Salgado, derrotado na primeira, acabou se elegendo.

Alexandre Campello partiu para o ataque (Reprodução Youtube)

Um dos candidatos que ficaram pelo caminho foi o ex-presidente Alexandre Campello, que ressurgiu nesta quinta-feria com um áudio no Instagram.

Publicidade

– Vocês ainda vão sentir muitas saudades minhas. Comigo o time não caiu. Foi cair na mão de quem assumiu, porque prometeu lá trás que tinha dinheiro, investimento, mas quando assumiu não pagou os salários – disse o ex-mandatário.

Campanha vascaína é muito ruim

Arredores de São Januário são pichados após derrota (Reprodução)

O Cruzmaltino faz uma campanha ruim no Campeonato Brasileiro da Série B. Por enquanto, em quatro rodadas, a equipe aparece na parte debaixo da tabela com uma vitória, um empate e duas derrotas. O curioso é que os dois resultados negativos aconteceram dentro de casa e pelo mesmo placar de 2 a 0. Na estreia da competição foi contra o Operário-PR.

MAIS! Vasco recebe oferta para ter Otero

Publicidade

Vale lembrar que na última partida da Taça Rio, antes do nacional, o Vasco também perdeu em casa para o Botafogo no tempo normal, antes de levantar a taça nos pênaltis.

Relacionadas

A fragilidade do time, especialmente em São Januário levou à torcida ao limite da paciência e o trabalho do técnico Marcelo Cabo passou a ser questionado dentro e fora do clube.

O Vasco voltará a jogar em seu estádio no sábado, contra o CRB-AL, pela quinta rodada da Série B.

Comentários