Publicidade

O Vasco vive a expectativa do julgamento da próxima quinta-feira na Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RJ). O julgamento pode decidir quem será o presidente Cruzmaltino no triênio 2021-23. O clube teve duas eleições em novembro, e Leven Siano e Jorge Salgado se consideram vencedores.

Leven Siano garantiu ter parceiros para bancar a chegada de Yaya Touré. E os demais? Leven Siano se considera vencedor das eleições (Divulgação)

Em entrevista à revista Veja, Leven Siano se disse confiante numa decisão favorável.

– Estou um pouco ansioso, mas confiante na Justiça e com muita convicção de que nosso direito é consistente. Estou bem tranquilo de que a decisão de quinta-feira vai ser definitiva. Temos de começar logo – afirmou.

Publicidade

Em sua conta no Twitter, Jorge Salgado retrucou.

Jorge Salgado @jorgesalgadovg
“Depois de a Justiça suspender aquela eleição do dia 7, restando ainda duas horas de votação, as urnas foram lacradas, em comum acordo entre os candidatos. Novamente o candidato Leven descumpriu o acordo, e também uma ordem judicial, e violou as urnas. Sem fiscalização das outras chapas, violando desta vez o estatuto, contou os votos e se autoproclamou presidente. Sinceramente, da para validar uma coisa dessa?”

Leia também:

Publicidade

Situação de Ricardo Sá Pinto segue delicada

Vasco tem desfalques para confronto com o Santos

Entenda o caso

As eleições no Vasco foram marcadas inicialmente para o dia 7 de novembro, de forma presencial. Uma liminar, contudo, o suspendeu em favor de outro, no dia 14, com votação presencial e online.

Publicidade

Na noite do dia 6, a liminar foi cassada e então, às pressas, as eleições foram organizadas e realizadas no dia seguinte. Entretanto, uma outra liminar suspendeu as eleições por volta de 20h30 da noite. A votação prosseguiu até por volta das 22 horas, e as urnas lacradas.

Quando todos os candidatos haviam se retirado, Siano e a mesa diretora abriram as urnas e fizeram uma contagem dos votos com São Januário literalmente às escuras. Siano foi o primeiro colocado e Jorge Salgado o segundo.

Com as eleições suspensas, o presidente da Assembléia Geral, Faeus Mussa, entendeu portanto que as eleições do dia 14 deveriam acontecer. Siano se recusou a participar do novo pleito e Salgado triunfou.

Publicidade

O julgamento desta quinta irá decidir sobre a validade da eleição presencial do dia 7 no Vasco. A ação foi proposta por Siano, mas Salgado foi considerado como terceiro interessado no caso.