Publicidade

Os dias de Martín Benítez no Vasco parecem estar contados. O presidente Jorge Salgado não quer pagar os valores acordados por Alexandre Campello com o Independiente, mas tenta prorrogar o empréstimo.

Jorge Salgado (Reprodução VascoTV)

Atual presidente, Campello acertou em novembro pagar em torno de 4 milhões de dólares por 60% dos direitos de Benítez. Entretanto, com a indefinição sobre quem seria o futuro presidente vascaíno, travou o negócio. O candidato Leven Siano, derrotado na Justiça, já havia declarado que seguiria com a compra em definitivo, mas Salgado achou o valor muito alto.

O novo presidente quer que o empréstimo de Benítez, que termina em 31 de dezembro, passe a vigorar até o fim do Campeonato Brasileiro, em fevereiro. Segundo Salgado, o Vasco precisa saber se permanecerá na Série A para fazer o investimento.

Publicidade

– Já falei com o empresário, já coloquei nossa proposta inicial, que é estender até o final do Brasileiro. Por conta da pandemia o campeonato foi alterado até fevereiro. Então nada mais justo que o contrato dele se estenda até fevereiro – afirmou Salgado em coletiva nesta segunda-feira.

Leia também:

Jorge Salgado: ‘Vamos construir um Vasco mais pacífico’

Publicidade

O presidente eleito disse já ter tentado um contato direto com o presidente do Independiente, mas sem sucesso.

Em contato com o portal ge, o diretor esportivo do clube argentino, Jorge Damiani, se mostrou irredutível.

– O empréstimo se encerra em 31 de dezembro. Se não se chegar à opção de compra, há outros três ou quatro clubes interessados, e nós avançaremos – afirmou Damiani.

Publicidade

A permanência de Benítez no Vasco, portanto, fica cada vez mais difícil. Lesionado, ele faz tratamento para enfrentar o Athletico-PR no domingo. Mas caso seja vetado, seu último jogo com a camisa do Vasco será o empate em 1 a 1 contra o Fluminense, no domingo retrasado.