Publicidade

Recuperado da Covid-19, Cano voltou ao comando de ataque do Vasco e mostrou o habitual faro de artilheiro. Aos 46 minutos do segundo tempo, ele apareceu para salvar o Gigante da Colina. O atacante argentino fez o gol do empate no clássico com o Fluminense, neste domingo, em São Januário.

Cano, Vasco Cano voltou e balançou a rede | Foto: Reprodução TV

“Muito feliz pelo gol e por este empate. Não merecíamos perder. Lutamos até o fim. Temos de continuar a trabalhar, todos juntos. Precisamos ajustar algumas coisas, não tomar gol”, declarou Cano.

LEIA MAIS! Vasco busca resolver situação de jogadores com contrato no fim

Publicidade

O atacante argentino é fundamental para o Vasco na briga contra o rebaixamento. Cano ficou fora dos últimos três jogos – tempo em que cumpriu o isolamento em função da Covid-19. O clube carioca perdeu as três partidas e fez apenas um gol.

Cano chegou à marca de 21 gols em 37 jogos pelo Vasco. Para se ter uma ideia da importância do artilheiro, o Gigante da Colina soma 41 gols em 2020. Ou seja, o argentino é responsável 51,2% dos gols do time.

Vasco continua pressionado no Brasileirão

O empate no clássico, porém, não alivia a pressão no Vasco. O Gigante da Colina está na 17ª posição, com 25 pontos, três a menos em relação ao Bahia, primeiro time fora do Z-4. Sport e Athletico-PR também têm 28 pontos. O clube carioca tem um jogo a menos.

Publicidade

O Vasco não vence desde o dia 14 de novembro, quando Cano fez os dois gols no triunfo sobre o Sport. De lá para cá, são sete jogos sem ganhar, sendo quatro empates e três derrotas, somando também a eliminação na Copa Sul-Americana.

O Gigante da Colina volta a campo no domingo para receber o Santos, em São Januário, às 16h. É mais um importante duelo na luta contra o rebaixamento.