Publicidade

Sem dinheiro, Fluminense não vem cumprindo acordos celebrados com seus credores. Enfrentando grave crise financeira, o clube vê a situação se agravar com a pandemia do coronavírus. Dois casos chegaram ao noticiário nos últimos dias, o do peruano Fernando Pacehco e do técnico Marcelo Oliveira.

Foto: Divulgação

Em janeiro desse ano, o Tricolor adquiriu 50% dos direitos econômicos do atacante por U$ 700 mil dólares. O valor seria pago ao Sporting Cristal, do Peru, em dez parcelas, o que não está acontecendo.

Fernando Pacheco é uma aposta do Fluminense. Com apenas 20 anos, ele foi revelado pelo Sporting Cristal e disputou o pré-olímpico pela seleção do Peru. Já o clube peruano espera que Pacheco siga o caminho de Richarlisson e João Pedro. A maior visibilidade no Flu pode render um bom lucro em uma futura transferência para a Europa.

Dívida com Marcelo Oliveira

Publicidade

Outra pendência Tricolor é com o técnico Marcelo Oliveira, que comandou a equipe por 33 jogos em 2018. O clube deve salários, Fundo de Garantia e direitos de imagem. O caso se arrasta desde a administração anterior, de Pedro Abad.

Em fevereiro deste ano, clube e treinador celebraram o terceiro acordo para quitação da dívida, já que os anteriores não foram cumpridos. Porém, se o clube deixar de pagar duas parcelas seguidas, sofrerá penhora.

O elenco do Fluminense está de férias e a reapresentação está prevista para o dia 21 de abril. Porém, a data pode ser alterada por conta da pandemia do Coronavírus, que tem paralisado as competições esportivas na maior parte do mundo.

Publicidade

Leia também:

Fluminense: 5 motivos para a torcida acreditar no sucesso em 2020

Fluminense tenta administrar crise financeira em meio à pandemia

Publicidade

Prestígio em alta: Mário Bittencourt conquista elenco