Publicidade

No Manchester City desde a temporada 2016/2017, Pep Guardiola tem praticamente um cartão sem limites no mercado da bola. Na janela atual, por exemplo, contratou Erling Haaland e Kalvin Phillips, um investimento, somado, de 108,75 milhões de euros (R$ 575,3 milhões). Muita grana, mas praticamente um terço do recorde do técnico na Inglaterra. O MQJ Memória relembra quando Guardiola quebrou a banca.

Na temporada 2017/2018, a segunda de Guardiola na Inglaterra, o Manchester City simplesmente investiu 317,5 milhões de euros (R$ 1,6 bilhão, na cotação atual). Naquela ocasião, o foco do técnico foi no setor defensivo.

Galeria de Fotos

Números impressionantes à parte, o mercado da bola daquela temporada foi importante para esta era vitoriosa do Manchester City. Ali, Guardiola buscou peças fundamentais do time, nomes que são importantes até agora.

Relacionadas

Lewandowski Dortmund Real Madrid
Neymar Champions League
Cristiano Ronaldo Juventus Ajax

Publicidade

O brasileiro Ederson, por exemplo, desembarcou na Inglaterra em 2017. Para tirá-lo do Benfica, o Manchester City pagou 40 milhões de euros (R$ 211,6 milhões, na cotação atual). O goleiro é peça-chave do City desde então.

MQJ Memória relembra a janela pesada de Guardiola no City

Ederson não foi o único brasileiro contratado naquela janela. Guardiola buscou o lateral-direito Danilo no Real Madrid. Ele custou 30 milhões de euros (R$ 158,7 milhões, na cotação atual). Danilo ficou no City por duas temporadas e foi para a Juventus.

Danilo Manchester City MQJ Memória Danilo ficou dois anos no City | Foto: Harry Trump/Getty Images

O volante Douglas Luiz, revelado pelo Vasco, também foi comprado pelo Manchester City por 12 milhões de euros (R$ 63,4 milhões, na cotação atual). Contudo, foi emprestado ao Girona, da Espanha, e depois negociado em definitivo com o Aston Villa, em 2019, clube que defende desde então.

Foco no sistema defensivo

Publicidade

Além de goleiro, Guardiola quase buscou um novo setor defensivo para o Manchester City naquela temporada. O reforço mais caro, inclusive, foi um zagueiro. O City investiu 65 milhões de euros (R$ 343,9 milhões, na cotação atual) por Aymeric Laporte, ex-Athletic Bilbao. Ele continua como um peça importante do elenco.

MQJ Memória: relembre o último título de Champions League de Guardiola

Para a lateral direita, Guardiola tirou Kyle Walker do Tottenham por 52,7 milhões de euros (R$ 278,8 milhões, na cotação atual). Walker é mais um homem de confiança de Pep desde então.

Publicidade

MQJ Memória: a janela galáctica do Real Madrid em 2009

A outra contratação para o setor defensivo foi Benjamin Mendy. O lateral-esquerdo, ex-Monaco, custou 57,5 milhões de euros (R$ 304,2 milhões, na cotação atual). Mendy está afastado – ele responde a acusações de estupro.

Para o meio de campo, Guardiola acertou em cheio com Bernardo Silva. O meia português, ex-Monaco, foi contratado por 50 milhões de euros (R$ 264,5 milhões, na cotação atual). É um dos pilares do City nesta era de conquistas.

Bernardo Silva Manchester City Bernardo Silva é jogador-chave do City | Foto: Stu Forster/Getty Images

Publicidade

O Manchester City ainda gastou por mais três jogadores: Jack Harrison (4 milhões de euros), Olarenwaju Kayode (3,8 milhões de euros) e Luka Ilic (2,5 milhões de euros). Contudo, eles não tiveram chances no time do City.

Comentários