Publicidade

Vasco e Cruzeiro precisam melhorar a sua realidade após o rebaixamento no Campeonato Brasileiro e se encontram neste domingo na Série B. Assim nada melhor do que recorrer ao passado para encontrar inspiração em busca de progressos. Assim o MQJ Memória de hoje relembra craques que ficaram marcados em suas passagens por Vasco e Cruzeiro. Jogadores que são lembrados por terem vestido as duas camisas.

Atualmente o Cruzeiro tem em suas fileiras um desses jogadores. Trata-se do goleiro Fábio. O arqueiro é o grande ídolo da Raposa e símbolo do clube nos últimos anos. Mas foi pelo Vasco que ele ganhou relevância.

Galeria de Fotos

Atuando no futebol carioca foi campeão da Mercosul e do Brasileiro de 2000. Além disso ganhou o Carioca de 2003. Depois virou um dos maiores ídolos da história do Cruzeiro: ganhou dois Brasileiros, três Copas do Brasil e foi sete vezes campeão mineiro.

Publicidade

MAIS!

MQJ Memória: Polêmica no Carioca faz o futebol relembrar Eduardo Viana, o Caixa D´água
MQJ Memória: Vivinho, o gol de placa de São Januário
Nomes de animais, MQJ Memória relembra craques bichos
MQJ Memória: Carlinhos Violino, o interino acostumado a dar voltas olímpicas
MQJ Memória: Cláudio Coutinho montou o inesquecível Flamengo

A sua saída foi polêmica do Vasco, inclusive com dieito a disputas com o então presidente Eurico Miranda.

Publicidade

– Poderia ter ficado no Vasco, mas o Eurico na época me tratou com muita arrogância – relembrou o jogador anos depois.

Dedé também marcou os dois clubes

Dedé deixou recentemente o Cruzeiro (Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro)

Outro atleta ainda em atividade, e que sonha com dias melhores, como o que viveu com as duas camisas, é o zagueiro Dedé. O Xerife foi ídolo no Vasco na conquista da Copa do Brasil de 2011. Depois foi para a Cruzeiro ser campeão brasileiro em 2013 e 2014, da Copa do Brasil em 2017 e 2018 e também mineiro em 2014, 2018 e 2019.

MAIS!

Publicidade

MQJ Memória: O adeus a Clébson! O substituto de Jorginho
MQJ Memória: Daniel González, o uruguaio que fez história no Vasco e no Corinthians
Mãe de miss já era… O MQJ Memória lembra pais que cuidam da carreira de craques 
MQJ Memória: Craques que deixaram clubes de graça
MQJ Memória relembra casos folclóricos do futebol

Antes de Fábio e Dedé alguns jogadores brilharam com as duas camisas. Conhecido pela eficiência ao colocar a bola na cabeça dos atacantes, Paulo Roberto tinha o rótulo de “lateral do cruzamento certo”. O gaúcho se destacou nos anos 80 no Rio de Janeiro, tendo vencido dois Estaduais pelo Vasco. Mas em 1992 foi para a Raposa, após ser campeão pelo Botafogo. No Cruzeiro foi duas vezes campeão mineiro e ganhou a Copa do Brasil de 1994 e a Supercopa da Libertadores de 1992.

– O Cruzeiro tinha um timaço com Renato Gaúcho e outros jogadores de grande nível. Montamos uma equipe muito forte e ganhamos muitos títulos. No Vasco também só tenho boas lembranças de títulos – disse o defensor.

Relacionadas

Zico deixou o futebol e o Flamengo, mas voltou para mudar o cenário da bola no Japão (Foto: Divulgação)

Publicidade

O volante Marco Antônio Boaideiro foi campeão pelos dois clubes. Venceu o Brasileirão de 1989 pelo Vasco. Na Raposa, além de campeão mineiro, venceu duas Supercopas da Libertadores: 1991 e 1992. Além disso venceu a Copa do Brasil de 1993.

MAIS!

MQJ Memória: Artilheiro no Flamengo e goleiro no Palmeiras
MQJ Memória: Botafogo perdeu Clei, o lateral que morreu por engano
Ézio, porque super-herói é pra isso que ele entra no MQJ Memória
MQJ Memória: Assis, o carrasco do Flamengo

Craques sem títulos também marcaram Vasco e Cruzeiro

Edmundo fez história no Vasco. Mas no Cruzeiro…. (Divulgação CRVG)

Publicidade

Mas nem só os craques que ganharam títulos que ficaram marcados na história deste clássico. Apesar de não ter sido campeão pelos dois clubes, apenas pelo Vasco, Edmundo ficou marcado no confronto. Isso porque atuando em 2001 pelo Cruzeiro, foi mandado embora após perder um pênalti contra o Vasco. Na ocasião disse que se fizesse o gol não comemoraria por ser torcedor do Vasco.

– Não posso comemorar uma derrota minha como vascaíno – disse ele para a revolta da diretoria.

MAIS!

Publicidade

Traumas que marcaram a saída de ídolos dos clubes
MQJ Memória: Zé Carlos, o Grandão do gol do Flamengo
MQJ Memória: Campeão mundial pelo Flamengo, Figueiredo morreu no auge da carreira MQJ Memória: Geraldo, o craque do Flamengo marcado por uma fatalidade
Alegria no apito: Margarida, o árbitro mais alegre da história do futebol
De Neto a Neymagrinho: Craques com problemas com a balança

Edmundo foi mandado embora pouco depois daquela derrota por 3 a 0. Até hoje seu nome é lembrado negativamente pela torcida.

Ídolo no Cruzeiro, Tostão também faz parte da história dos dois clubes. Isso porque foi contratado a peso de ouro em 1972 e se destacou apesar de não ter ganho títulos no Rio. Mas ficou marcado por enecrrar a carreira aos 26 anos no clube cruzmaltino por conta de problemas nos olhos. Um grande nome para fechar esta ilustre lista.

Publicidade

MAIS!

MQJ Memória: Mazolinha, o craque que virou pedreiro
MQJ Memória: Berg, o Anjo Louro do Botafogo
Relembre grandes zebras do futebol carioca
MQJ Memória: America e Bangu, símbolos de uma época que o Rio tinha 6 grandes
MQJ Memória: Dener, o mais parecido com Pelé
Filho de peixe, relembre pais e filhos do futebol
MQJ Memória: Jorge Mendonça, o substituto de Dinamite
Irmão que fizeram história no futebol no MQJ Memória

 

Comentários