Publicidade

Rivais na próxima terça-feira pelo Campeonato Carioca, Vasco e Fluminense já disputaram jogos memoráveis e que até hoje fazem parte do imaginário dos seus torcedores. Um exemplo é a final do Campeonato Brasileiro de 1984, vencido pelo Tricolor. Outro é a decisão do Carioca de 2003, que teve direito a cruzamento de letra e título vascaíno. Mas Fluminense e Vasco também protagonizaram polêmicas fora de campo. Assim o MQJ Memória de hoje visita um pouco dessas polêmicas.

Fluminense fez a festa em 2000 (Foto: Youtube)

Uma das mais famosas aconteceu nos anos 90, quando o Fluminense amargou uma série de rebaixamentos. Naquela época, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, que morreu em 2019, sempre fazia questão de jogar na cara do rival as quedas, que incluía uma Série C.

Leia também:

Publicidade

MQJ Memória: O adeus a Clébson! O substituto de Jorginho
MQJ Memória: Daniel González, o uruguaio que fez história no Vasco e no Corinthians

– Não vou pagar nenhum bicho para meus jogadores por vencerem o Fluminense, pois é um time de Terceira Divisão. Aliás, se ganhar por menos de três gols de diferença eu ainda desconto do salário – provocava Eurico.

Curiosamente o dirigente se orgulhava de ter ajudado o Fluminense em 1996 em uma virada de mesa que impediu a queda do Tricolor para a Segundona. Mas na época o Fluminense apenas se beneficiou de um escândalo de arbitragem.

Publicidade

Leia também:

MQJ Memória: Ézio, porque super-herói é pra isso
Mário, o Maestro tricolor no MQJ Memória
MQJ Memória: Assis, o carrasco do Flamengo

Fluminense calou São Januário em 2000

Eurico Miranda provocava o Vasco (Foto: Reprodução Youtube)

As provocações entretanto custariam caro a Eurico em 2000. Vasco e Fluminense se enfrentaram pela Copa do Brasil. O CruzMaltino tinha um timaço com Mauro Galvão, Edmundo, Romário e outros craques. Assim Eurico seguiu provocação.

Publicidade

– A classificação é certa – brincou o dirigente.

Leia também:

MQJ Memória: Mazolinha, o craque que virou pedreiro
MQJ Memória: Berg, o Anjo Louro do Botafogo
As zebras do futebol carioca: Relembre no MQJ Memória

Publicidade

Naquele ano ainda valia o gol como visitante. No jogo de ida, no Maracanã, os dois times empataram por 1 a 1 com mando de campo tricolor. O zagueiro Régis fez para o Fluminense, com Pedrinho assegurando o empate.

Leia também:

MQJ Memória: Artilheiro no Flamengo e goleiro no Palmeiras
MQJ Memória: Botafogo perdeu Clei, o lateral que morreu por engano
Elói, o craque que Pelé queria no Santos no MQJ Memória

Publicidade

Na volta, em São Januário, o Vasco precisava de um empate sem gols. Mas em campo brilhou a estrela de Roger Flores. O meia, então chamado de Maradoninha, infernizou a defesa do Vasco. O Tricolor abriu 2 a 0 com gols de Magno Alves e Agnaldo. Régis, contra, e Edmundo empataram. Mas o 2 a 2 deu ao Fluminense a classificação por conta do gol qualificado como visitante.

– Aquele jogo custou inclusive a demissão do Abel Braga no Vasco. O Fluminense estava inspirado – recordou Roger.

Vasco impediu Leandro Amaral de jogar no Flu

Na Justiça, Leandro Amaral foi obrigado a retornar ao Vasco (Divulgação)

Na Justiça, Leandro Amaral foi obrigado a retornar ao Vasco (Divulgação)

Já nos anos 2000 Vasco e Fluminense travaram uma batalha jurídica em 2007 pelo atacante Leandro Amaral aumentando a série de polêmicas. No fim da temporada o jogador abriu mão da renovação automática de contrato e se apresentou ao Fluminense, então bancado pela Unimed.

Publicidade

Leia também:

MQJ Memória: Geraldo, o craque do Flamengo marcado por uma fatalidade
MQJ Memória: Margarida, o árbitro mais alegre da história do futebol

Justamente por conta da cláusula de renovação automática o Vasco foi para a Justiça e começou uma guerra de liminares que inclusive impedia Leandro Amaral de entrar em campo. Depois de alguns meses a Justiça decidiu pelo Vasco e o jogador foi obrigado a se reapresentar.

Qual o lado da torcida no Maracanã?

Maracanã tem novo gestor rival do Flamengo

Vasco e Fluminense brigaram pelo lado da torcida no Maracanã (Foto: Governo do Rio)

Publicidade

Já na década passada a briga foi por um motivo que ninguém esperava. Vasco e Fluminense discutiram por conta do lado em que suas torcidas ocupariam no Maracanã. Tradicionalmente os vascaínos ocupavam o lado direito das cabines, direito que lhe foi dado por ter sido o primeiro campeão após a construção do estádio em 1950. Por uma medida de segurança da Polícia Militar, o Flamengo ficava sempre do lado esquerdo. Assim Fluminense e Botafogo tinham que mudar de lado conforme o clássico.

Mas o Fluminense passou a dividir com o Flamengo a gestão do Maracanã, que passou a ser administrado não mais pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. Assim os dois clubes acertaram que os flamenguistas permaneceriam à esquerda das cabines, enquanto que os tricolores ficariam à direita em todos os jogos. Incluindo os clássicos com o Vasco.

Leia também:

Publicidade

MQJ Memória: America e Bangu, símbolos de uma época que o Rio tinha 6 grandes
MQJ Memória: Dener, o mais parecido com Pelé
Filho de peixe, relembre pais e filhos do futebol
MQJ Memória: Jorge Mendonça, o substituto de Dinamite

Eurico Miranda não aceitou a determinação e os dois travaram longas disputas ao pontos de a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) optar por mandar jogos no Estádio Nilton Santos quando os times se enfrentavam. Já a CBF chegou a optar por jogos com torcidas únicas. A polêmica começou em 2013 e se estendeu até 2017. Depois de um tempo o fato passou a ser amenizado com o diálogo.

Ronaldinho Gaúcho 90% acertado…

Ronaldinho Gaúcho defendendo o Fluminense em mais uma das polêmicas com o Vasco (Foto: Imago)

Outra polêmica aconteceu em 2015 quando Eurico Miranda anunciou que Ronaldinho Gaúcho estava “90%” fechado com o Vasco. Mas o Fluminense acabou atravessando a negociação e levou o jogador para as Laranjeiras. As duas diretorias trocaram farpas, sobrando até mesmo para Assis, irmão e empresário de R10.

Leia também:

MQJ Memória: Zé Carlos, o Grandão do gol do Flamengo
MQJ Memória: Campeão mundial pelo Flamengo, Figueiredo morreu no auge da carreira 

Assim Vasco e Fluminense sempre protagonizaram disputas curiosas dentro e fora de campo e muitas polêmicas. Mas com os clubes cada vez mais tentando profissionalizar as suas gestões a tendência é que isso fique cada vez mais no folclore do futebol.

Leia também:

MQJ Memória: Polêmica no Carioca faz o futebol relembrar Eduardo Viana, o Caixa D´água
MQJ Memória: Vivinho, o gol de placa de São Januário
Nomes de animais, MQJ Memória relembra craques bichos
MQJ Memória: Carlinhos Violino, o interino acostumado a dar voltas olímpicas
MQJ Memória: Cláudio Coutinho montou o inesquecível Flamengo