Publicidade

De olho na Copa do Mundo do Catar, a Seleção Brasileira faz mais um teste e enfrenta o Japão, nesta segunda-feira, às 7h20 (horário de Brasília), em Tóquio. O futebol japonês tem uma ligação especial com o Brasil. O MQJ Memória, então, aproveita para relembrar este elo.

No início da década de 1990, na profissionalização do futebol japonês, uma tacada foi fundamental para alavancar o esporte no país. Zico chegou ao Japão em 1991 e se tornou um ídolo.

Galeria de Fotos

Mesmo veterano, Zico encantou com a camisa do Kashima Antlers. A idolatria ao Galinho virou devoção. O ídolo do Flamengo, então, também ajudou o futebol japonês de outras formas. Ele se tornou coordenador técnico do Kashima na sequência, em 1996, e voltou a trabalhar no clube nos últimos anos.

Relacionadas

Mourinho Conference League
Guardiola

Publicidade

A profissionalização deu frutos. O Japão disputou a Copa do Mundo pela primeira vez em 1998. O país também teve Zico à frente da seleção nacional. Ele assumiu o cargo em 2002 e ficou até 2006.

MQJ Memória: a ligação do Japão com o Brasil no futebol

No Mundial na Alemanha, Zico enfrentou o Brasil. Na fase de grupos, o Japão saiu na frente, gol de Keiji Tamada. Contudo, a Seleção virou e goleou: 4 a 1, dois gols de Ronaldo, um de Juninho Pernambucano e outro de Gilberto.

Zico técnico Japão MQJ Memória Zico à frente da seleção do Japão | Foto: TOSHIFUMI KITAMURA/AFP via Getty Images

Não foi apenas técnico brasileiro que a seleção japonesa já teve. Alex Santos e Túlio Tanaka, brasileiros naturalizados japoneses, defenderam o país em Copas do Mundo.

Publicidade

MQJ Memória: relembre a ‘quina’ histórica de títulos de Ancelotti

Zico é o maior ídolo brasileiro do futebol japonês, mas outros nomes também têm um lugar especial no país. Alcindo fez sucesso na década de 90, especialmente pelo Kashima Antlers e Tokyo Verdy.

MQJ Memória: a geração de ouro da Colômbia de Rincón, Valderrama & Cia

Publicidade

O Kashima Antlers, por sinal, tem um histórico grande de jogadores brasileiros. Além de Zico e Alcindo, Leonardo e Bebeto, campeões mundiais com a Seleção Brasileira, defenderam o clube. Marquinhos Cambalhota, ex-atacante, Fábio Santos, lateral do Corinthians, e Danilo, meia ex-São Paulo e ex-Corinthians, são outros exemplos.

MQJ Memória relembra os duelos do Brasil contra Sérvia, Suíça e Camarões em Copas do Mundo

Um ídolo brasileiro no Japão é Amaral. Ex-atacante com passagem pelo Palmeiras, em 1992, ele ganhou o apelido de “Rei de Tóquio”. Brilhou no país com a camisa do FC Tokyo.

Japão tem carinho especial por brasileiros

Publicidade

Responsável por erguer a taça da Copa do Mundo de 1994, Dunga foi ídolo do Júbilo Iwata – defendeu o clube de 1995 a 1998. Ele foi para o Mundial da França como atleta do Júbilo.

MQJ Memória: os vexames da Itália nas duas últimas Copas que disputou

Nos anos 2000, o centroavante Washington se destacou no futebol japonês. Ele defendeu o Tokyo Verdy e o Urawa Reds.

Washington Washington mostrou faro de artilheiro no Japão | Foto: Koji Watanabe/Getty Images

Publicidade

A Liga Japonesa continua recheada de jogadores brasileiros, como Leandro Damião (Kawasaki Frontale), Diego Pituca (Kashima), Anderson Lopes (Yokohama Marinos), Matheus Sávio (Kashiwa Reysol), Bruno Mendes (Cerezo Osaka), entre outros.

MQJ Memória: relembre as decepções do PSG na Champions League

O futebol japonês também apostou em muitos técnicos brasileiros. Nelsinho Baptista tem história para contar no país. Atualmente, comanda o Kashiwa Reysol. Oswaldo de Oliveira é outro treinador do Brasil vitorioso no Japão. Ele comandou o Kashima.

Publicidade

MQJ Memória: o sufoco do Brasil nas Eliminatórias para Copa de 2002

Emerson Leão, Toninho Cerezo, Jorginho, Antonio Carlos Zago e Levir Culpi também treinaram clubes japoneses.

Comentários