Publicidade

Trump costuma aparecer com esportistas (Divulgação) Trump costuma aparecer com esportistas (Divulgação)

Existe alguma ligação entre Manchester United e Donaldo Trump? Sim. E isso não é nada agradável para o clube inglês, que teve seu faturamento comprometido por conta de algumas decisões do atual presidente dos Estados Unidos. A reforma fiscal do mandatário da maior nação do mundo impactou no orçamento dos Diabos Vermelhos.

LEIA TAMBÉM

Publicidade

Liga dos Campeões: conheça os apelidos dos times que estão na briga pelo título
Pepsi renova contrato com a UEFA
Neymar vira embaixador de gigante chinesa de tecnologia
Barcelona de Valverde faz história e supera marca de Guardiola
Crise no Real Madrid pode sobrar para Keylor Navas
Neymar tem razão: apanha mais na França do que na Espanha
Mercado de inverno movimenta R$ 3,5 bilhões: Barcelona é o campeão

Pela decisão, a taxa de imposto corporativa dos Estados Unidos foi reduzida de 35% para 21%. O Manchester United tem como dono a família Glazer, que é norte-americana. Com essa queda orçamentária, o prejuízo do clube inglês está sendo calculado em cerca de R$ 70 milhões. Vale lembrar que o Manchester faz parte da Bolsa de Valores do Nova York, ficando sujeito a algumas decisões do Governo dos Estados Unidos.

Manchester United busca outras receitas

Apesar do impacto negativo, o clube se diz tranquilo quanto à finanças.

Publicidade

– A nossa capacidade de cumprir os nossos acordos financeiros com o elenco, com outros clubes, com o fair play da Uefa não fica comprometida. É apenas uma taxa contábil não monetária – disse Cliff Baty, diretor financeiro do Manchester United, em entrevista ao jornal britânico “The Telegraph”.

O Manchester United, porém, vem conseguindo absorver o prejuízo causado por Trump de outras formas. O retorno à Champions League resultou em mais receitas. Além disso, a venda de camisas aumentou consideravelmente com a chegada de alguns reforços, como o chileno Alexis Sánchez.