Publicidade

Caixa Ecônomica vai seguir estampando marca na camisa celeste (Divulgação) Caixa vai seguir estampando marca na camisa celeste (Divulgação)

O Cruzeiro renovou contrato de patrocínio com a Caixa Econômica Federal para 2018. Porém, o tão sonhado reajuste não aconteceu e o banco vai seguir estampando sua marca na camisa do clube pelos mesmos valores de 2017. A crise financeira que o país atravessa foi a justificativa para que o contrato não tivesse aumento de valor.

A medida não chegou a agradar totalmente os conselheiros do clube, que esperavam que a conquista do título da Copa do Brasil e a consequente participação na próxima Copa Libertadores fossem valorizadas.

Contrato prevê premiações

Publicidade

Porém, como o contrato prevê, o clube recebeu alguns bônus. Pelo título da Copa do Brasil a Caixa Econômica pagou R$ 500 mil. O modelo será repetido no próximo ano. Se, por exemplo, ganhar a Libertadores, a Raposa receberá um prêmio de R$ 1,5 milhão. Já o Mundial de Clubes renderá R$ 2 milhões.

LEIA MAIS

Veja jogadores do Corinthians que não foram campeões brasileiros
Van Dijk vira o defensor mais caro do futebol; Top 10 tem dois brasileiros
Palmeiras lidera lista de reforços já confirmados para 2018
Harry Kane acaba com hegemonia de Messi e Cristiano Ronaldo
Brasileiros ficam fora de seleção de jovens talentos da Fifa
Cristiano Ronaldo domina Messi e Neymar também na Internet

Publicidade

O fato é que o Cruzeiro vem encontrando dificuldades para honrar seus compromissos quando o assunto é a contratação de reforços, o que torna o dinheiro da Caixa Econômica Federal muito importante. O clube, por exemplo, ainda não conseguiu pagar ao Botafogo pela contratação do volante Bruno Silva.