Publicidade

Fornecedora de material esportivo do Boa Esporte, o grupo Kanxa não gostou nem um pouco de ver o goleiro Bruno ser anunciado como novo reforço do clube. Após cumprir pena pelo assassinato da modelo Eliza Samúdio, com quem teve um caso, em 2010, o jogador assinou contrato com o clube mineiro para disputar a Série B do Campeonato Brasileiro. Minutos depois a Kanxa anunciou o rompimento de vínculo com o Boa.

A decisão da Kanxa se baseou no fato de que a empresa entende que a imagem do ex-jogador não tem o perfil da fornecedora de material esportivo. A empresa se manifestou dizendo que o Boa Esporte tomou uma ‘decisão unilateral’ e ainda lamentou que o anúncio tenha sido feito poucos dias após se comemorar o Dia Internacional da Mulher.

Bruno 'afastou' Kanxa do Boa Esporte (Foto: Divulgação) Bruno ‘afastou’ Kanxa do Boa Esporte (Foto: Divulgação)

A Kanxa é o quarto grupo empresarial a se “desligar” do Boa após o anúncio de Bruno. Antes, retiraram o patrocínio ao clube as empresas Nutrends Nutrition, a Cardiocenter e por fim a Magsul.

Publicidade

O Boa Esporte, por sua vez, se posicionou lamentando as perdas, mas dizendo que está dando uma oportunidade de trabalho a quem deixou um presídio e pretende refazer a vida. O clube lembrou ainda que não teve nenhuma ligação com a decisão judicial que decretou a liberdade de Bruno.

Fundada em 1986, a Kanxa, que tem origem em São Paulo, é a fornecedora de material esportivo de vários clubes brasileiros, como o Audax-SP, São Caetano-SP, Brusque-SC, América-RN e Campinense-PB, dentre outros.