Publicidade

Alfio Basile dirigiu duas vezes a Argentina (Arquivo Conmebol) Alfio Basile dirigiu duas vezes a Argentina (Arquivo Conmebol)

Os últimos técnicos argentinos formam uma extensa lista. Isso porque a AFA, responsável por cuidar do futebol local, tem por tradição promover trocas. A princípio, Jorge Sampaoli não parece correr riscos mesmo após a humilhante goleada de 6 a 1 sofrida para a Espanha no amistoso da última terça-feira. Afinal de contas, assumiu o cargo no ano passado. Mas por via de dúvidas o MQJ decidiu relembrar quem esteve no cargo.

CARLOS BILARDO

Carlos Bilardo foi campeão do mundo em 1986 (Arquivo Conmebol) Carlos Bilardo foi campeão do mundo em 1986 (Arquivo Conmebol)

Publicidade

Bilardo foi o técnico da última conquista argentina em uma Copa do Mundo. Em 1986, no México, ele contou com a ajuda do craque Diego Maradona, que desequilibrou dentro de campo. Os platinos bateram a Alemanha por 3 a 2 na final, coroando uma geração de nomes como os de Ruggeri, Burruchaga e Valdano.

ALFIO BASILE

Basile era visto como salvador (Foto: Arquivo AFA) Basile era visto como salvador (Foto: Arquivo AFA)

 

Publicidade

Após perder a final da Copa do Mundo de 1990 para a Alemanha, por 1 a 0, Carlos Bilardo deixou a seleção argentina e Alfio Basile comandou a equipe. E ele fez um belo trabalho ganhando a Copa das Confederações de 1992 e as Copas Américas de 21991 e 1993, esta a última conquista da seleção platina. Acabou demitido após cair para a Romênia nas oitavas de final da Copa do Mundo de 1994.

Leia também:

Você conhece os 15 jovens que podem brilhar na Copa do Mundo?
Brasil vai de ‘Samba Ouro’ na Rússia: veja camisas históricas da Seleção em Copas
Dez jogadores que devem disputar sua última Copa do Mundo na Rússia
Dez frases confiantes (arrogantes) de Cristiano Ronaldo
Você lembra quais foram os capitães do Brasil em todas as Copas do Mundo?

Publicidade

DANIEL PASSARELLA

Daniel Passarella fracassou na Argentina (Arquivo Conmebol) Daniel Passarella fracassou na Argentina (Arquivo Conmebol)

Um dos principais ídolos do futebol argentino, o ex-zagueiro Daniel Passarella foi contratado para a vaga de Basile. Ele ficou até a Copa do Mundo de 1998, quando caiu diante da Holanda nas quartas de final.

MARCELO BIELSA

Bielsa caiu após derrota para reservas do Brasil (Arquivo Fifa) Bielsa caiu após derrota para reservas do Brasil (Arquivo Fifa)

Publicidade

El Loco Bielsa foi chamado para dirigir o time a partir de 1999. Com uma brilhante campanha nas Eliminatórias, a Argentina chegou como uma das principais favoritas ao título da Copa de 2002. Mas caiu na primeira fase, em uma decepção histórica. Mesmo assim ele foi mantido, mas não resistiu à histórica derrota nos pênaltis para a equipe reserva da Seleção Brasileira na final da Copa América de 2004. Os argentinos ganhavam por 2 a1 até os acréscimos do segundo tempo. Carlos Tévez chegou a fazer embaixadinhas provocando os canarinhos, que empataram com Adriano Imperador e ganharam nas penalidades.

JOSÉ PÉKERMAN

José Pékerman também não brilhou na Argentina (Foto: Arquivo AFA) José Pékerman também não brilhou na Argentina (Foto: Arquivo AFA)

A dois anos da Copa da Alemanha, Pékerman assumiu a seleção argentina e a levou ao Mundial. Porém, um choque com os donos da casa, nas quartas de final, custou a eliminação e o emprego do treinador.

Publicidade

ALFIO BASILE – O RETORNO

Basile orienta Messi (Foto: Arquivo Fifa) Basile orienta Messi (Foto: Arquivo Fifa)

Sonhando em voltar a conquistar um título internacional, a AFA retornou Alfio Basile ao cargo. Ele, porém, perdeu de 3 a 0 a final da Copa América para a Seleção Brasileira e começou a ameaçar a classificação para a Copa. Foi demitido.

DIEGO MARADONA

Maradona era um técnico inquieto (Foto: Arquivo Conmebol) Maradona era um técnico inquieto (Foto: Arquivo Conmebol)

Publicidade

Chamado de Deus na Argentina, Maradona foi convocado a fazer o milagre de levar o time a um título. Conseguiu classificar para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Porém, nas quartas de final, a humilhante goleada de 4 a 1 sofrida para a Alemanha tornou sua permanência insustentável.

SERGIO BATISTA

Sergio Batista fracassou na Copa América em casa (Foto: Arquivo Conmebol) Sergio Batista fracassou na Copa América em casa (Foto: Arquivo Conmebol)

A AFA decidiu seguir investindo na geração campeã de 1986 e o ex-volante Sergio Batista foi contratado logo depois da Copa de 2010. Um ano depois, após ser eliminado pelo Uruguai na Copa América, dentro de casa, foi demitido.

Publicidade

ALEJANDRO SABELLA

Alejandro Sabella levou Argentina ao vice da Copa de 2014 (Foto: Arquivo Fifa) Sabella levou Argentina ao vice da Copa de 2014 (Foto: Arquivo Fifa)

Alejandro Sabella assumiu logo após a queda de Batista e com certeza é o dono do melhor desempenho recente da Argentina. Classificou para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, e conseguiu levar o país de volta a uma final. Porém, perdeu a finalíssima na prorrogação, por 1 a 0, para a Alemanha. Mesmo com o pedido para permanecer no cargo, preferiu deixar a seleção.

Três técnicos desde a última Copa

GERARDO MARTINO

Nem amizade com Messi salvou Tata Martino (Foto: Arquivo Fifa) Nem amizade com Messi salvou Tata Martino (Foto: Arquivo Fifa)

Publicidade

Tratado como amigo de Lionel Messi, Gerardo Martino foi contratado e procurou manter o estilo de Sabella. Porém, as derrotas nos pênaltis para o Chile nas finais das Copas Américas de 2015 e de 2016 foi o bastante para sair.

EDGARDO BAUZA

Edgardo Bauza nem esquentou no cargo (Foto: Arquivo Conmebol) Edgardo Bauza nem esquentou no cargo (Foto: Arquivo Conmebol)

Apostando na experiência, a AFA contratou Edgardo Bauza. O treinador porém acumulou fracassos nas Eliminatórias e a entidade viu de perto a ameaça de ficar de fora da Copa do Mundo da Rússia. Ele foi demitido poucos meses depois de ser contratado.

JORGE SAMPAOLI

Jorge Sampaoli tenta levar Argentina ao título mundial (Foto: Arquivo AFA) Jorge Sampaoli tenta levar Argentina ao título mundial (Foto: Arquivo AFA)

Faltando quatro rodadas para o fim das Eliminatórias, Jorge Sampaoli foi contratado. Estreou ganahndo do Brasil por 1 a 0 em amistoso, jogo que marcou a queda da invencibilidade do time sob o comando de Tite. Sampaoli conseguiu a vaga no Mundial, mas pelo que vimos contra a Espanha, está longe de ter achado o melhor estilo de jogo. Vai durar no cargo?